Siouxsie Sioux e a originalidade gótica

Seu visual e sua música influenciaram gerações de músicos e artistas. Siouxsie Sioux, o nome artístico de Susan Janet Ballion, sempre foi inovadora. Desde os dias do punk, onde seus looks eram referência até para os líderes do movimento até ser carinhosamente chamada de “avó do gótico”, com mais de 40 anos de carreira à frente do Siouxsie and The Banshees, o tempo parece não ter passado para ela. É só olhar para Cruella e ver o quanto o visual de Emma Stone é inspirado na cantora.

A lista de ‘inspiradas’ é longa.

Siouxsie nasceu na Inglaterra, filha de mãe escocesa e pai belga, que se conheceram na África e estabeleceram no Reino Unido. O pai da cantora, um bacteriologista, lutou contra o alcoolismo por muitos anos, marcando a infância da caçula que, com uma grande diferença de idade para os irmãos (mais de dez anos mais velhos), se isolava e vivia mais em um mundo de fantasia vindo dos livros que ganhava do pai.

Segundo contou, ela sofreu abuso sexual quando tinha apenas nove anos, mas foi ignorada tanto pelos pais quanto pela polícia, contribuindo para uma revolta maior contra a sociedade e que depois seria exposta quando entrou para o movimento punk. Muito magra por questões de saúde, que pioraram depois da morte de seu pai, quando tinha 14 anos, Siouxsie passou boa parte de sua adolescência entrando e saindo do hospital até identificar que sofria de colite ulcerosa e precisou ser operada. Foi no hospital que viu David Bowie na TV e já se interessou por música e arte.

Os anos 1970s na Inglaterra foram muito conturbados economicamente e Siouxsie logo se viu no meio de um movimento cultural que romperia costumes culturais e artísticos. Deixou a escola aos 17 anos e começou a frequentar a noite alternativa londrina. Ali, em 1976, com o namorado Steve Severin, foi ver um show do Sex Pistols, que desde o ano anterior estava movimentando Londres. Foi um encontro de almas. Siouxsie e Severin passaram a seguir a banda em todos os shows, ficando amigos dos músicos. Logo o grupo chamou a atenção da imprensa e foram chamados de Bromley Contigent (isso tudo vai aparecer na série Pistol, que está sendo gravada por Danny Boyle e que vai contar a história da banda).

Siouxsie já era uma espécie de influencer mesmo antes de subir em um palco. Seu visual e sua maquiagem, completamente originais com olhos pintados como gato, bem pretos e batom vermelhos, cabelo pintado de preto e roupas rasgadas começaram a ser imitados. Logo ela e Severin, bem no clima punk, decidiram começar sua própria banda.



Foi o mesmo Malcolm McClaren que estava cuidando dos Pistols que deu a primeira oportunidade à banda, batizada como Siouxsie (que se diz ‘Suzy”, apelido da cantora) and the Banshees. Estrearam em setembro de 1976, improvisando 20 canções. Logo se destacaram, até porque, havia muito poucas vocalistas mulheres.

Sua confiança e seu visual agradaram imediatamente. Logo estavam abrindo shows para os Sex Pistols e, indiretamente, ajudaram a criar a fama rebelde dos músicos. Quando em um programa de TV o apresentador foi abusado com Siouxsie, sugerindo querer encontrá-la depois do programa, o guitarrista Steve Jones a defendeu xingando o apresentador – ao vivo – na TV. Foi um escândalo que “ajudou” a trazer notoriedade para os Pistols, mas afastou Siouxsie, que não queria estar envolvida com as histórias de outra banda que a sua própria.

Em 1977 lançaram o primeiro álbum e começaram a tocar em rádios, com os críticos elogiando The Scream como uma das melhores estréias de uma banda nova. Em 1980 o guitarrista John McGeogh entrou para o grupo, alterando em parte do som do grupo o que foi consolidado com a chegada do baterista Budgie. Entre 1981 até o anos 2000, foram sequências de sucessos e shows em todo mundo, incluindo Brasil (em 1987). John deixou o grupo em 1982, sendo rapidamente substituído por Robert Smith, do The Cure.

A vida pessoal dos músicos interferiu bastante na trajetória da banda. Steve e Siouxsie já estavam separados quando começaram o grupo, mas a entrada de Budgie criou conflito, especialmente depois que Siouxsie se apaixonou por ele e se casou. Ela e o marido criaram a banda The Creatures, mais experimental e Steve foi ficando cada vez mais insatisfeito.

Em 1992, Siouxsie and the Banshees assinaram a canção de Batman Returns com a bela Face to Face, mas apenas três anos depois anunciaram a separação, com Budgie e Siouxsie seguindo com The Creatures.

Em 2004 Siouxsie fez uma turnê solo pela primeira vez e, três anos depois gravou o álbum Mantaray, no mesmo ano em que se divorciou de Budgie. Desde então tem feito shows sozinha. Em 2015, aceitou fazer uma composição original para encerrar a série Hannibal. Love Crime foi seu primeiro single em oito anos.

A cantora mora perto de Toulouse, na França, com seus gatos.

2 comentários Adicione o seu

  1. Milton disse:

    Ela é muito 10! Amo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s