No ano do Tigre, lembrando Shere Khan

Hoje, 1º de fevereiro de 2022, começa oficialmente o Ano do Tigre, pelo calendário lunar chinês. Apenas uma bengala para lembrar um dos mais temidos e conhecidos vilões da Disney, o tigre Shere Khan, de Mogli (Jungle Book).

Com a refilmagem do longa, há duas grandes vozes que ficaram mais associadas à personagem, as de George Sanders e Idris Elba, mas houve outros atores, como Benedict Cumberbatch. Para mim, a mais genial de todas é justamente a de Sanders, mais esnobe e sutil do que o apavorante tom que Idris imprimiu ao tigre. Mas voltemos ao início!!

Shere Khan é uma das personagens centrais do livro Jungle Book, de Rudyard Kipling, publicado em 1924, sobre o menino Mogli, um menino órfão criado por lobos desde bebê. Seu tome é uma adaptação para colocá-lo como o “rei dos tigres” e é o antagonista da história. Arrogante, feroz e vingativo ele tem ódio de humanos e ao descobrir a existência de Mogli, não apenas coloca a vida do menino em risco como a de todos que o protegem. Shere Khan só teme duas coisas: armas e fogo, as principais defesas humanas na floresta e não quer correr o risco de deixar que um filhote humano cresça entre eles. Assim, o menino-lobo é obrigado a voltar para civilização, mas sempre com Shere Khan no seu encalço.

Quando a Disney começou a trabalhar na adaptação do clássico da literatura, em 1967, ainda não era comum que atores de primeira linha emprestassem suas vozes para animação. Porém era essencial que Shere Khan não apenas passasse medo, mas acima de tudo, seu esnobismo de se achar superior a todos.



Assim, decidiram acertadamente buscar o ator George Sanders, o astro britânico que estrelava filmes importantes em Hollywood, como A Malvada (pelo qual recebeu um Oscar), Rebecca, Um Tiro no Escuro, Sansão e Dalila, O Retrato de Dorian Gray e Ivanhoé, entre outros. Mogli foi seu último trabalho. O ator, que sofria de demência no final de sua vida, estava profundamente deprimido com divórcios, mortes do irmão, problemas financeiros e de saúde. Foi encontrado morto, em abril de 1972, aos 65 anos, após uma overdose de remédios. Em sua nota de despedida, disse que sentia que “já tinha vivido o suficiente”. Seu trabalho no desenho, é inesquecível.

Em 2016, foi a vez de Idris Elba dublar o tigre na versão filmada da história, The Jungle Book. Nesta versão, Shere Khan está cego de um olho e tem marcas de queimadura, causadas por humanos, justificando seu ódio mortal por eles. Para o ator, a arrogância da personagem vem de um lugar de medo, usando como tática inverter seu sentimento para dominar os mais fracos. E funciona. A voz de Idris dá mais medo do que a de George Sanders, mas não tem o toque nobre do original.

Na Netflix, em 2018, coube a Benedict Cumberbartch, um dos mais versáteis atores do momento e com grande experiência em dublagem. Mogli- A lenda da Floresta, o roteiro tenta ser mais fiel ao livro original – com Shere Khan com defeitos físicos – e é considerada a versão mais sinistra de todas. É Shere Khan que mata os pais de Mogli e fica obcecado em matar o menino também.

A personalidade de Shere Khan beira o sadismo: ele gosta de atormentar suas vítimas com uma conversa suave, condescendente enquanto se prepara para o ataque. Apenas fogo ou armas são vistas por ele como efetivas ameaças, por isso acha que seu ódio por humanos tenha justificativa.

Qual dos três que você gosta mais? (Sou clássica)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s