Bridgerton: romance tradicional e escapismo

Tudo em Bridgerton funciona para quem busca escapismo. Os cenários, os figurinos, a trama romântica, o drama, o suspense e a solução para os desencontros. A cada temporada, a série vai se dedicar a um dos irmãos da família, sendo que primeiro vimos Daphne e agora acompanhamos Anthony a encontrar uma esposa e o amor.

Anthony Bridgerton é o primogênito dos Bridgerton e o responsável pela fortuna e nome da família, precisando garantir que – com um bom casamento – a linhagem continue. O problema é que ele tem pânico de se apaixonar e agora finalmente entendemos a razão, é tocante. E claro, agora ele finalmente encontra sua alma gêmea na figura da igualmente complicada Kate Sharma. Não é com ela que ele inicialmente planeja casar, mas com sua irmã, mas a relação dos dois vai se enrolando ao ponto de que é inegavelmente uma reedição de Elizabeth Bennett e Mr. Darcy, de Orgulho e Preconceito. Quem pode resistir?

Paralelamente vemos as histórias potenciais das próximas temporadas se desenhando no horizonte. A ausência de Rege-Jean Page só foi sentida mesmo porque a falta do Duque de Hastings em eventos familiares ficou estranha, mesmo com as explicações dadas. Mas, em termos de narrativa ou estrelas, não fez falta e isso quer dizer muito sobre a qualidade narrativa da fraquia.

A segunda temporada de Bridgerton acalmou nossos corações de que seria um fogo de palha. Essa paixão veio para ficar…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s