É hora do recap de Westworld

Domingo, depois de uma pausa de dois anos, voltamos ao estranho universo de Westworld. Por isso, é essencial um recap. Se Raised By Wolves foi uma viagem quase incompreensível, a densidade da trama dessa série é desafiadora.

Narrativa não linear, teorias, assassinatos, realidade virtual… o universo daqui a algumas décadas será decadente e violento. Os showrunners Lisa Joy e Jonathan Nolan criaram várias histórias paralelas e confusas, especialmente complicada depois de um hiato tão longo. Mas vamos tentar lembrar onde paramos com os principais.

Dolores e Maeve: hospedeiras em lados opostos

Na 1ª temporada, conhecemos Dolores Abernathy (Evan Rachel Wood), a anfitriã robô que vê a beleza das coisas, mas que luta com imagens traumáticas que não consegue ainda contextualizar. Nem a gente. Na verdade, com três timelines acontecendo ao mesmo tempo, descobrimos que em algum momento Dolores foi programada para executar um massacre em Westworld, um parque temático para milionários viverem com realismo – e nenhuma consequência – suas fantasias. O fundador, Arnold Weber (Jeffrey Wright) percebeu em algum momento que seus robôs anfitriões estavam ganhando consciência decide mudar a personalidade de Dolores, sua primeira anfitriã, transformada em Wyatt, para destruir os outros anfitriões, matar o próprio Arnold e depois se matar.

Mas o sócio de Arnold, Robert Ford (Anthony Hopkins) consegue reviver Dolores e abrir o parque de qualquer maneira. Anos depois, entediado, é a vez de Robert manipular o jogo. A essa altura os planos de Dolores são de deixar a restrição do parque e atacar no “mundo real”.



Ela consegue, finalmente, no final da segunda temporada, na qual reuniu um pequeno exército e chegou ao ” Valley Beyond”, o espaço do parque onde hospedeiros podem viver livremente longe dos humanos, mas também o local onde está o banco de dados com as réplicas das mentes de todos os visitantes do parque. Dolores enfrenta a perseguição do Homem de Preto (Ed Harris), Charlote Hale (Tessa Thompson) e de Bernard – a versão robô criada em cima de Arnold, mas escapa de Westworld sozinha. Na cidade, a hospedeira vai até a antiga casa de Arnold faz um novo corpo para si mesma e outro corpo para Bernard, e implanta um hospedeiro desconhecido no corpo de Charlotte.

Na 3ª temporada, que acontece 3 meses depois, sabemos que Dolores escapou de Westworld levando alguns núcleos de processamento (“pérolas”), incluindo o de Bernard. Em uma Los Angeles em 2053, ela se aproxima e elege o humano Caleb (Aaron Paul) para liderar uma revolução. No confronto com Maeve (Thandie Newton) vemos o corpo de Dolores ser desativado, mas ela consegue aparentemente convencer Maeve a escolher um lado. Pelo teaser, parece que Dolores será recuperada.

A única hospedeira com a mesma capacidade de liderança e iniciativa de Dolores é Maeve, mas as duas não se cruzam. Na 1ª temporada, Maeve era a Madame de Sweetwater, mas começa a ter lembranças de sua filha de uma narrativa anterior. Essa filha foi assassinada pelo Homem de Preto em algum momento e Maeve nunca conseguiu superar o trauma. Inteligente, descobre que os hospedeiros passam por uma restauração e usa essa oportunidade para ampliar sua memória e ganhar poder. Ela chega quase a escapar do parque, mas volta com o plano de reencontrar sua filha.

A jornada ocupa a 2ª temporada, onde tem a ajuda de Hector (Rodrigo Santoro). Maeve explora seus poderes de controle de hospedeiros, passa pelo lado do parque que ‘o Japão em tempos feudais mas ao chegar, finalmente à sua antiga casa, descobre que sua “filha” foi reprogramada e não sabe mais quem ela é. Como o amor é maior, ela tenta salvar a criança e a leva para o Beyond, se sacrificando por ela.

Na 3ª temporada, Maeve persegue Dolores porque ainda sonha de se reunir de alguma forma com sua filha no Valley Beyond. Depois das duas brigarem, ela decide ajudar e liberta a humanidade de suas cadeias algorítmicas, apoiando Caleb.

Os outros hospedeiros

Como já falei, Bernard Lowe é uma réplica exata de Arnold, criado por Ford para ajudá-lo após a morte do verdadeiro sócio. Ele é o único que pode parar – ou ajudar – Dolores em sua batalha por um mundo “mais bonito”, mesmo que violento.

William, hoje o Homem de Preto, é um homem traumatizado. Em uma das narrativas, quando ainda jovem, ele e Dolores se apaixonam, mas ao ser lembrado que ela é apenas uma máquina, dá o gatilho para uma transformação no sádico “Homem de Preto”. No espiral de autodestruição, na 2ª temporada mata a própria filha, leva a mulher ao suicídio. Nos despedimos com o verdadeiro William sendo morto por uma réplica, mas seu propósito, salvar o mundo matando os últimos hospedeiros do planeta, fica em suspenso para ver como se conclui.

A executiva Charlotte Hale é outra que teve uma trajetória como a de William e também quer vingança, mas não está claro quais são seus objetivos. Ela parece ser pacifista mas é hoje a maior incógnita da história.

Para ajudar, veja o vídeo abaixo. É importante para acompanhar a 4ª temporada. Vamos teorizar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s