No jogo dos tronos, você vence ou morre. Alguns não entendem

House of the Dragon está espetacular. No episódio que marcou a metade da primeira fase da história e a despedida das atrizes jovens Milly Alcock e Emily Carey não faltou infirmação. Junto com o público, elas forçosamente amadureceram e escolheram seus lados.

Nós também. Tanta coisa aconteceu que vamos separar por personagens. Aliás… SPOILERS em todo o post!

Daemon Targaryen

A confirmação de que Daemon Targaryen efetivamente assassinou sua esposa foi interessante, pois no livro ressalta-se o detalhe do rosto “destruído”, mas atribuído à queda. Mais uma vez, Matt Smith passou todas suas emoções sem nenhuma palavra.

Daemon segue jogando uma estratégia agressiva para se manter perto do poder.

E sem nenhuma vergonha, ele volta imediatamente para King’s Landing para o casamento de Rhaenyra – para qual não tinha sido convidado – e que indiretamente acelerou, sem conseguir o resultado esperado de ser o noivo.

Ainda assim Daemon faz uma última tentativa, com Rhaenyra sugerindo uma fuga, mas sendo interrompido por conta da zona causada por Sor Joffrey e Sor Criston.

Para leitores do livro, sabemos que seu flerte com Laena Velaryon vai render um ótimo casamento, portanto o crime foi bem sucedido.

Rhaenyra Targaryen

Assim como Daenerys na última temporada de Game of Thrones, Rhaenyra tem agido com arrogância desde que foi oficializada como herdeira. Que ela, a princípio, tenha acreditado que a cerimônia e anúncio fossem suficientes está certo, mas as circunstâncias mudaram e ela parece ignorá-las.

Hoje tem um meio-irmão potecialmente seu substituto, foi avisada por pessoas mais vividas como Rhaneys e Daemon portanto minimamente deveria ser mais atenta à fragilidade de seu título. Parece que ficou tão envolvida em se rebelar e sentir pena de si mesma que tem perdido tempo precioso de estabelecer aliados para herdar mesmo a coroa.

Não, por escolha, a princesa se isolou na fé de direitos são intocáveis. Ela, como Ned Stark e Jon Snow, 200 anos depois, não perceberam que apenas “não querer jogar” não é suficiente no Jogo dos Tronos. A vitória ou derrota são inevitáveis.

Portanto ela mesma está ajudando a seus inimigos a se organizarem. Ela e Laenor Velaryon entendem que a união dos dois não é por amor, mas uma parceria é essencial. Sor Corlyn Velaryon tem as exats mesmas ambições que os Hightowers e sacrifica tudo por mais poder, incluindo o filho.

Se fosse por sentimentos, o escolhido dde Rhaenyra para marido seria seu tio, Daemon. Ser Criston foi algo inconsequente para ela. Outro erro. A princesa subestima a subserviência do Guarda Real e até de Alicent como concordância ou até mesmo, impotência de mudar seu destino. Trai os dois sem cerimônia os unindo em dor e ressentimento. O pior dos erros de cálculo que jamais fez. A madrasta estava do seu lado, mais do que imaginava e a perdeu para sempre. Sem confiança e ciente da humilhação de ter acreditado em uma mentira, Alicent agora mudou de lado.

Para observadores, percebemos a crescente proximidade. de Ser Harwin Strong, outro erro de cálculo da futura rainha.

Alicent Hightower

Depois de alguns anos como Rainha cosorte, vemos Alicent mostrando mais sua personalidade.

Como Otto joga na cara dela quando ainda está chorando por ter contribuído para sua demissão, a escolha de tentar ser uma Targaryen (por casamento) foi inútil e perigosa. Ela pode ter se casado com um Rei, mas ela nunca esteve em seu círculo de confiança. Para Viserys ela só existia como companhia ou “fazedora de bebês”.

O objetivo de Otto é ter Aegon II no trono, algo que será uma realidade construída ou aceita, seja com sangue ou guerra. Otto, sempre o manipulador, parece razoável, prático e preocupado como se a questão fosse uma preocupação realista, mas o que ele quer mesmo é seu neto no trono para que os Hightower governem. Ele está fazendo exatamente o que Corlys Velaryon está fazendo ao casar seu filho com Rhaneyra, exceto que Alicent o atrapalhou porque tentou ficar bem com os Targaryens.

Esse empurrão vem de um aliado improvável, que não deveria estar ajudando os Hightowers já que sua própria Casa se beneficiou da queda da Mão, mas embora os leitores do livro já soubessem, a série já esclareceu o fato de que Larys Strong NÃO é um cara legal. Através de uma “conversa inocente” com Larys, a rainha descobre que tanto Viserys quanto Rhaenyra mentiram para ela, fazendo-a sentir-se uma tola e excluída. É muito. Afinal, sem amor, só há medo.

Sua atitude com o marido, cada vez mais fraco, é de indiferença e até nojo. Também tem inveja e ressentimento por Rhaenyra, agora qualquer coisa que Otto diga, ela vai ouvir.

Quando ele planta a semente do medo, alertando que a vida de Aegon é uma ameaça para Rhaenyra e que, em breve, a princesa será forçada a escolher entre estar “segura” ou perder o trono, o que possivelmente significa decidir matar seus irmãos, Alicent acredita. O contrário também é verdade, mas como sabe que Rhaenyra faz qualquer coisa para herdar o trono, inclusive mentir, Otto imputa a motivação que faltava para convencer a filha a tomar atitude.

Em sua declaração de guerra – vestindo verde – foi, finalmente, poderosa.

Os Strongs

Sor Lionel Strong é um homem honrado e sério, aparentemente. Ele tem dois filhos bem colocados, mas nenhum segue seu exemplo. Sor Harwin é um jogador e está mais perto de Rhaenyra. O caso deles será a ruína da Casa Strong. E vemos que Larys age por conta própria e foi seu veneno que mais atingiu os ouvidos de Alicent. Larys consegue ser mais aterrorizante que Otto. Preste atenção nele

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s