Os meninos de Rhaenyra Targaryen em House of the Dragon

No avanço do tempo de House of the Dragon, episódio 6 da 1ª temporada, Rhaenyra Targaryen e Laenor Velaryon terão convivido por 10 anos como marido e mulher, com três filhos homens para tranquilizar a ordem de sucessão. Ou, como sabemos, aumentar a tensão sobre o assunto. Seus três filhos, Jacaerys, Lucerys e Joffrey – segundo a fofoca da Corte – se parecem mais com Sir Harwin Strong do que o pai oficial dos meninos. A sombra da dúvida é afasta ainda mais Rhaenyra de sua ex-amiga, Alicent Hightower.

A Princesa e a Rainha, o título do episódio 6, não deixa dúvidas sobre quem será o tema. Na véspera do casamento de Laenor e Rhaenyra, Alicent descobriu que sua enteada mentiu para ela, que seu pai foi exilado por contar (parte) da verdade e que para manter sua coroa, a Princesa fará qualquer coisa. A partir daí, a Rainha consorte ganhou motivação para sair de cima do muro, algo que sua escolha de cores deixou claro ao incorporar as cores de guerra dos Hightowers como figurino para si mesma e seus filhos, sempre com referências verdes.

Na guerra dos tronos, são os filhos que deixam os jogadores vulneráveis e conheceremos três com trajetória curta e dramática. Sim, SPOILERS para não leitores do livro. Os “meninos” de Rhaenyra, seus filhos e grande amores, têm relevância nos fatos que levam à Guerra Civil conhecida como A Dança dos Dragões, sendo que são protagonistas dessa coreografia mortal.

Jacaerys, Lucerys e Joffrey Velaryon são amados por seus “pais”, mas detestados pela avó, Alicent, e tios (Aegon, Aedmond e Daeron), tanto pela dúvida de sua legitimidade mas acima de tudo porque têm prioridade sobre o trono. É onde sentimentos mesquinhos humanos mesclam com ambição política.

Para Alicent, a revolta é porque Rhaenyra não segue as regras de decência e moralidade que ela mesma é obrigada a aceitar, mantendo fidelidade ao marido 30 anos mais velho (e doente). Portanto agora ela concorda com seu pai, Otto Hightower, que Aegon deve ser rei. O menino é legítimo e homem, traria as coisas “de volta ao normal”. Rhaenyra, uma Targaryen pura, quer que o desejo e acordo com seu pai seja honrado, a mantendo no Trono e deixando a linhagem pura Targaryen no comando. Ter sido forçada a se casar com Laenor, que prefere homens à mulheres, não foi sua escolha, portanto ela faz o que pode para manter a linhagem. E do lado do marido, Sir Corlys Velaryon joga o mesmo jogo de Otto, quer mudar a linhagem Targaryen para o sangue Velaryon (mesmo que seja ‘fake’). Em resumo, nem verdes nem pretos estão 100% corretos.

Portanto, nesse cenário, é importante conhecer os meninos Velaryon, chamados pelas costas de Strong, porque são seus destinos que vão acelerar o conflito.

Jacaerys é o primogênito, tido como protetor de sua família e ao mesmo tempo político, ousado e responsável, um hábil escudeiro que será após sua mãe, o herdeiro do Iron Throne. Embora seu pai, Laenor, quisesse homenagear o amigo Sor Joffrey Lonmouth (assassinado por Ser Crystan Cole no casamento), o avô, Corlys, sugeriu um nome tradicional dos Velaryons para o menino, uma sugestão que a princesa aceitou, mas que passou a chamá-lo de Jace.

Não veremos na série, mas Alicent e Rhaenyra terão tido filhos bem próximo, com Daeron Targaryen nascendo perto do sobrinho. Segundo a história, para aproximar os meninos, Viserys ordenou que Jacaerys e Daemon compartilhassem uma ama de leite até serem desmamados, esperando que eles fossem irmãos de leite faria a diferença. Obviamente só piora as coisas, como tudo que Viserys tenta fazer para se manter popular.

Um ano depois de Jace, Rhaenyra tem Lucerys e vamos acompanhar o dia do nascimento de Joffrey. Os três terão ovos de dragão como presente, na tradição Targaryen. Aqui há um fato importante. A tradição diz que os que não são de linhagem pura os ovos nunca chocariam, mas os três meninos meio que calam as fofocas porque todos conseguem seus dragões.

Como reflexo da péssima relação de suas mães, os meninos se detestam e a convivência forçada só piora tudo. Como veremos, quando treinam juntos em armas, a agressividade mútua é logo obvia.

Jace será um importante aliado de sua mãe, participando da guerra civil como um ótimo estrategista. Luce terá um destino que piora as coisas pois, ao defender Joffrey, vai literalmente “tirar” o olho do tio Aemond e – claro – literalmente transformar a briga entre parentes em algo mais violento.

Antes da temporada acabar teremos que nos despedir dos meninos, infelizmente.

O (suposto) pai biológico, Sir Harwin Strong vai ser exilado da Corte depois de brigar com Sir Criston Cole e morrer em um incêndio pra lá de suspeito em Harrenhal. Com a clara “proximidade” de Sir Harwin e Rhaenyra, claro que os filhos da prinecsa também eram apegados ao Guarda Real. Sua morte terá impacto neses, em especial, Jace.

Como terceiro na linha sucessória, Jace é um dos maiors rivais dos “verdes”. Quando o avô morre e seu tio usurpa a coroa de sua mãe, ele é um dos mais ávidos para reverter a situação. Porém, seu espírito protetor involuntariamente cria a perfeita situação para os rivais se aproveitarem. Será o final da temporada.

Para tirar Aegon II do trono, Rhaenyra decide cobrar a lealdade que os Senhores de Westeros juraram à sua posição de herdeira. Porque Stormsend era mais próxima e Lord Baratheon era em tese leal, é Jacaerys quem sugere que Luce seja o enviado e ele terá a missão mais arriscada de ir ao Norte cobrar a resposta dos Starks.

Luce voa em Arrax até o castelo dos Baratheons, mas não apenas descobre que eles mudaram de lado como o tio, Aemond, está lá. Borros Baratheon quer um compromisso maior dos pretos (o casamento de um dos filhos da princesa com uma filha sua), mas claro que não é possível pois jace e Luce estão noivos de suas primas Velaryon (filhas de Daemon e Laena). Portanto, se considerando “justificado” de ser unir aos verdes, um importante integrante da corte ajudou na divisão. Mas o Lord Baratheon faz algo pior.

Como sempre, um Velaryon nunca fica em paz quando um Targaryen verde está no ambiente. Aemond desafia o sobrinho, mas é impedido de atacá-lo “dentro” de Stormsend. Na espada, Luce teria mais chance. Quando vai embora, montando Arrax, em meio à uma terrível tempestade, Aemond (que a essa altura montava a gigantesca Vhagar) sai em seu encalce. Não tem a menor chance.

Rhaenyra terá uma grande mudança quando comunicada sobre a morte de Lucerys. Assim como Jace. Falaremos mais sobre isso mais à frente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s