Sharon Tate: a estrela cuja tragédia transformou em lenda

Hoje a atriz Sharon Tate estaria completando 80 anos, mas viveu apenas 26 deles. Sua morte violenta e injustificável, junto com a de seu filho ainda por nascer e outras seis pessoas, é um dos traumas mundiais desde 1969, retratado no filme Era Uma Vez em Hollywood, de Quentin Tarantino. A violência gratuita e imperdoável liderada por Charles Manson e sua gangue fez do nome de Sharon, uma estrela em ascensão, uma involuntária lenda por motivos errados. Infelizmente é justamente o capítulo final de sua vida que sempre abre toda sua narrativa, uma injustiça que não há como inverter.



Linda e interessada em vir a se estabelecer como artista, Sharon era a filha mais velha de três mulheres, com pai militar e mãe dona-de-casa. Nasceu no Texas e com apenas 6 meses de idade tinha uma beleza que se destacava, sendo coroada “Miss Tiny Tot de Dallas”. A vida de “Miss” era o sonho de muitas meninas nos anos 1940s e 1950s e Sharon ganhava todas as competições que entrava: aos 16 anos, foi Miss Richland, em Washington, entre outros. Com o pai sendo transferido de base para base, os Tate se mudaram para Itália, onde a beleza de Sharon continuava a por em destaque. Adolescente, já queria ser atriz e como muitos filmes eram rodados no Cinecittà, conseguiu a autorização de fazer pontas em várias produções, “estreando” no filme Barrabás, estrelado por Anthony Quinn. Antes mesmo de pisar em Hollywood chegou a aparecer numa coluna de fofocas como possível namorada de Richard Beymer (o Tony de West Side Story), que estava filmando Adventures of a Young Man em Verona. Ela tinha apenas 19 anos.

Como queria o destino, quando voltou para os Estados Unidos, sua família se estabeleceu na Califórnia e Sharon conseguiu trabalhos como modelo e em comerciais. Aos 20, conseguiu um contrato e começou uma carreira de coadjuvante, onde exploravam o lado sexy da atriz, como muitos faziam na época. Ela foi crescendo e eventualmente chamou a atenção de Roman Polanski, um diretor querido dos críticos que a queria no filme A Dança dos Vampiros. Na época estava noiva do cabelereiro Jay Sebring (que estaria com ela na noite do assassinato), mas a paixão pelo astro polonês foi definitiva para os dois.


O filme mais famoso de Sharon Tate, o que prometia fazer dela uma atriz mais reconhecida foi O Vale das Bonecas, adaptado do best-seller de Jacqueline Susann de 1966, um grande sucesso na época. Ela se casou com Polanski em 1968 e engravidou no mesmo ano. Por desejar que o parto fosse nos Estados Unidos, mais para o final da gravidez, os dois alugaram uma casa em Los Angeles, em 10050 Cielo Drive…

Em 2014, eu li o livro Sharon Tate Recollection, uma coleção de belas fotos da atriz, mas concordo com o que sua irmã escreveu no prefácio: “Sempre achei muito injusto que a vida dela fosse lembrada principalmente por seus momentos finais. Sharon teve uma vida magnífica.” Aqui a minha homenagem ao ícone, uma vida tirada de nós muito antes de seu tempo.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s