Nove anos sem Amy Winehouse

Minha playlist para CLAUDIA quando completaram nove anos sem a diva do soul. A cantora inglesa que, em apenas oito anos, virou um fenômeno pop, teria 37 anos em 2020

Amy Winehouse teve uma carreira curta, mas marcante. Original, única, talentosa e conflituosa, a cantora britânica morreu em casa, há nove anos, em 23 de julho de 2011.  Sua vida com histórico de excessos de drogas e álcool encerrou sua trajetória aos 27 anos de idade, cantada por ela com honestidade.

Amy amava jazz e sua voz lembrava a de Billie Holiday. Nascida e criada em Londres, filha de um pai taxista (e músico) e mãe farmacêutica, a cantora teve uma adolescência rebelde. “Quando cheguei aos 15 anos, meus pais perceberam que eu faria o que queria”, ela disse em uma entrevista.

Seu álbum de estreia, Frank, de 2003, revelou uma jovem de 19 anos com profundidade musical e também letrista, cantando as dores da primeira separação amorosa.

Os críticos disseram que o som de Amy era “jazz e soul clássicos, cantados por uma jovem moderna, curtidora de moda e de noitadas”. Frank ganhou prêmios e deu notoriedade à ela, mas foi o álbum

seguinte, Back to Black, em 2006, que fez de Amy um fenômeno. Incorporando o som da gravadora Motown, o CD é uma lista de canções imediatamente clássicas,

como a que dá título ao álbum, assim como Rehab e Love is a Losing Game, entre outras. Foi nesse período que Amy adotou o visual que se tornou sua marca registrada, com cabelo em coque, saias curtas, muitas tatuagens e salto alto.

O sucesso de Back to Black e a exposição mundial de Amy trouxeram mais dores que alegrias para a cantora. A pressão da fama, o casamento tumultuoso com Blake Fieder-Civil, a dependência das drogas, tudo ganhou espaço na mídia, torturando a tímida Amy, que não buscava esse tipo de atenção. A vida desregrada começou a interferir na qualidade de suas apresentações, cada vez mais raras.

A separação de Blake, em 2009, trouxe um período de sobriedade e ela voltou a compor. Gravar com Tony Bennet foi um dos momentos mais emocionantes para a cantora, que cresceu ouvindo seus discos.

Infelizmente, a saúde frágil dos anos anteriores não permitiu que Amy seguisse o caminho musical que encantou tanta gente. Na data do aniversário de nove anos de morte de Amy Winehouse, sua mãe, Janis, fez uma homenagem à filha.  Ela postou um dos saltos de Amy, ao lado de uma vela, assinando “Com amor, Janis”.

Rob Verhorst/Redferns

Em homenagem à uma das grandes cantoras dos anos 2000, relembramos nove sucessos de sua discografia em uma playlist especial. Saudades de Amy. Sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s