O charme furioso de Anya Taylor Joy

Anya Taylor-Joy é uma cidadã do mundo. Nasceu na Flórida, cresceu em Buenos Aires, voltou para Inglaterra e depois para os Estados Unidos, tudo isso em menos de 14 anos. Quando pequena, Anya se recusou a falar em inglês por dois anos. Em vez disso, só se comunicava em castelhano, o idioma que aprendeu e usou nos oito primeiros anos de sua vida, quando vivia em Buenos Aires. O objetivo era forçar que os pais voltassem para a Argentina, mas não deu certo.


Quando estava morando com a mãe em Nova York, deixou o ballet e começou a trabalhar como modelo. Daí foi um curto pulo para o cinema. Estreou em The Witch e emendou vários trabalhos elogiados até ganhar a crítica em Fragmentado, de M. Night Shyamalan e estrelado por James McAvoy (repetiu seu papel na sequência, Vidro).

Reconhecida do grande público, Anya se manteve no gênero terror/fantasia até que, em 2020, mudou completamente sua carreira. Estrelou a elogiadíssima refilmagem de Emma, ao lado de Josh O’Connor. “Li o livro pela primeira vez quando tinha 11 anos, sou uma nerd de literatura e muito fã da autora. A própria Jane Austen disse que quando escreveu [Emma] não sabia se alguém mais além dela gostaria da personagem”, Anya comentou na época do lançamento.

Apesar das várias versões do livro, estreladas por Gwyneth Paltrow e Katie Beckinsale, para citar apenas duas, Anya só viu As Patricinhas de Beverly Hills. “Não vi as outras para não ficar nervosa, queria ter certeza que não imitaria ninguém”, justificou Anya que hoje é o principal nome de The Queen’s Gambit, a série fenômeno da Netflix.

Em The Queen’s Gambit, Anya é a enxadrista compulsiva-excessiva Beth Harmon um papel que não é simpático ou fácil, mas que o charme e talento de Anya trazem empatia, contribuindo para que, mesmo em ano de muitos sucessos e até o lançamento aguardado de The Crown, The Queen’s Gambit destrone até Stranger Things e se transforme na série mais vista da plataforma em 2020. É muita coisa em um ano extremamente competitivo.

E para frente? Bom, Anya já tem muitos projetos em andamento, mas o principal será substituir ninguém menos do que Charlize Theron como Furiosa, no spin off de Mad Max: Fury.

Sobre o castelhano? Bom, a atriz ainda está sonhando com um papel em que possa mostrar desenvoltura com seu idioma materno. Os sotaques britânicos e americanos “Meu sonho é trabalhar com Guillermo Del Toro que tem uma relação com o super-natural parecida com a minha”, ela dá a dica. “Eu sei imitar bem sotaques, por isso faço com facilidade em inglês, o problema é que tenho um sotaque argentino muito forte e teria dificuldade para trabalhar em espanhol (neutro). Mas aceito o desafio!”, diz Anya.

Alguém se habilita?

3 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s