A trágica vida de Sam Cooke, o Rei do Soul e a alma de One Night in Miami

Em janeiro de 2021, se estivesse vivo, Sam Cooke teria completado 90 anos de vida. No entanto, ele morreu em 1964, com apenas 33 anos, assassinado pela gerente de um hotel em Los Angeles após uma discussão. Sam estava no auge de sua carreira e era conhecido como o Rei do Soul. Com uma voz lindíssima e muito característica, Sam influenciou artistas como Marvin Gaye, Al Green, Bobby Woomack, Stevie Wonder, Otis Redding e James Brown, entre outros. Para muitos, sua trágica morte deixou uma lacuna jamais preenchida na música americana.

Nascido em 1931, no Mississipi, Samuel Cook (sem o “e” que adicionou mais tarde) se mudou com a família ainda muito novo para Chicago. Começou a cantar profissionalmente com apenas seis anos e logo se destacou com a voz suave, clara e apurada. O repertório gospel foi mudado para o pop, o que era incomum para artistas na época. Ele explodiu com hoje clássicos como Cupid, Wonderful World (usado no filme A Testemunha), Chain Gang e A Change Is Gonna Come, entre outros.

No início dos anos 1960s, Sam se envolveu com o movimento dos Direitos Civis e é parte do seu ativismo que é retratado no filme One Night In Miami, da Amazon Prime e dirigido por Regina King. O filme, que não é biográfico e imagina uma noite fictícia onde Sam Cooke, Muhammad Ali, Malcolm X e Jim Brown se encontraram, é um dos filmes que será certamente mais premiados no ano. O vencedor do do Tony e do Grammy por Hamilton, Leslie Odom Jr. interpreta Sam Cooke. Não apenas está igual fisicamente e vocalmente (é muito impressionante) como compôs a linda Speak Now que fecha os créditos.

A vida de Sam Cooke foi marcada por dor e lágrimas. Sua contribuição artística para a indústria da música, popularizando o soul e escrevendo suas próprias canções (incomum na época) foi importante, com o cantor fazendo questão de manter o controle sobre sua carreira, inclusive abrindo sua própria gravadora. Sam se casou duas vezes. O primeiro casamento acabou em divórcio e sua ex-mulher morreu em um acidente de carro alguns anos depois. Ele teve três filhos com a segunda mulher, Barbara Campbell, mas o caçula dos dois morreu afogado em uma piscina com apenas dois anos de vida.

As circunstâncias de sua morte nunca foram completamente esclarecidas. Segundo a gerente do hotel, Bertha Franklin, ela atirou em Sam em legítima defesa (a Justiça americana aceitou). Amigos, como a cantora Etta James, que viu o corpo, defende que Sam foi assassinado depois de apanhar muito, o que descartaria a versão da gerente.

Poucos meses depois do assassinato de Sam, Barbara se casou com Bobby Womack, amigo do cantor. Linda Cooke, filha de Barbara e Sam, veio a ser uma compositora de sucesso e se casou com o irmão de Bobby, Cecil, com quem formou a dupla Womack & Womack.

Um dos momentos mais bonitos de One Night in Miami é quando Sam Cooke canta A Change Is Gonna Come, considerada um dos maiores clássicos do movimento dos Direitos Civis.

Lembre 10 sucessos de Sam Cooke.

 

4 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s