Don’t look Back in Anger, sua história e inspiração

Uma das canções mais clássicas do Oasis, que, nos anos finais da banda costumava ser tocada no bis, com Noel Gallagher sozinho no palco, é extremamente especial para o guitarrista e compositor.

Don’t Look Back In Anger foi uma das primeiras em que Noel gravou o lead vocals, tirando de Liam a chance de cantar uma das melhores canções da banda. Na verdade, Liam teve a chance de gravá-la, quando Noel deu a opção de escolher entre ela e Wonderwall. Como principal vocalista, naturalmente ele queria cantar as duas, mas Noel estava decidido a cantar uma delas, mas deixou o irmão fazer a escolha. Na verdade, Noel queria gravar Wonderwall, porque escreveu a canção de amor para sua futura esposa, Meg, mas para irritá-lo, Liam não abriu mão. E “perdeu” Don’t Look Back in Anger, para alguns, superior à Wonderwall.

Considerada uma das canções mais suaves do Oasis, onde fala de lembranças de infância dos irmãos, como quando eram obrigados a tirar fotos de família em frente à lareira e Noel fazia cara de aborrecido. Stand up beside the fireplace, take that look from off your face, diz a canção.

Segundo o compositor, a inspiração veio durante uma turnê do Oasis com The Verve, em Paris, a alguns dias antes de uma grande apresentação na Inglaterra. Ao tocar alguns acordes, ainda tentando a melodia, Liam perguntou “você está cantando So Sally can wait?” e Noel gostou do som da frase, que entrou para a letra. Segundo ele, até o título simplesmente “apareceu” quando estava anotando as idéias (apesar de ser o nome de uma peça dos anos 1950, de John Osborne). Don’t Look Back in Anger estava tão pronta, que acabaram as letras no camarim e Noel cantou para 18 mil pessoas antes de entrar em um estúdio.

Don’t Look Back In Anger superou Wonderwall como uma das mais famosas do Oasis e, segundo Noel, pega emprestado duas coisas de John Lennon: o piano da abertura, que saiu de Imagine, a campanha de Yoko e John, na cama (So I start a revolution from my bed) e a declaração do ex-Beatle em umas fitas, preparando sua biografia (que não chegou a escrever), the brains I had went to my head.

Não é à toa que o próprio Noel tenha tanto orgulho da canção, que faz parte de seu repertório pessoal, mesmo fora do Oasis. A nova versão acústica é linda. Ouça e curta!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s