Dear Prudence: dos Beatles à Siouxsie and the Banshees

Como muitas gerações, mas especialmente as que cresceram nos anos 1950s, The Beatles era o sinônimo de divindade da música. Isso incluía os jovens que “inventaram” o punk, futuro tema de série que chegará às telas em 2022. Dentre esse grupo, estavam, claro, Sex Pistols e Siouxsie and the Banshees.

Em 1983, a banda liderada por Siouxsie Sioux, estava em turnê pela Europa. Robert Smith, do The Cure, entrou para a banda subsituindo o guitarrista John McGeogh, que se afastou para tratar do alcoolismo. Tendo feito um cover de Helter Skelter no álbum The Scream, de 1978, o grupo lançou a idéia de voltar a visitar a banda favorita deles, com um novo cover do mesmo White Album. Esbarram com um problema, Smith não era apaixonado pelo quarteto fantástico como o resto do mundo e desconhecia boa parte de suas canções. Só conhecia uma única canção do álbum, Dear Prudence. Assim nascia um clássico.

“Dear Prudence”: a origem e homenagem à Prudence Farrow

Dear Prudence foi escrita por John Lennon durante o período “indiano” dos Beatles, quando estavam seguindo o guru Maharishi Mahesh Yogi. Durante o isolamento para meditação, a banda encontrou as irmãs Mia e Prudence Farrow, filhas do diretor John Farrow.

Mia já era uma atriz famosa e Prudence, que lutava contra a dependência das drogas e depressão, levou os ensinamentos mais a sério que todos, passando dias consecutivos isolada, sem se alimentar ou interagir com as pessoas. Ao ponto que – mesmo encorajado – seu comprometimento passou a ser visto como nocivo para ela mesma. John e George Harrison eram os mais próximos e tentaram ajudá-la a voltar a se socializar. A canção, simples e inocente, convida a Prudence a se reconectar com o mundo à sua volta.

A balada foi incluída no famoso White Album, e Paul MaCartney tocou a bateria, pois Ringo Starr abandonou o grupo depois de uma briga com Paul. Dear Prudence, segundo consta, era uma das composições favoritas do próprio Lennon, mas, com os Beatles, não fez tanto sucesso. Precisou passar 15 anos para virar um hit ao redor do mundo.

Vídeo em Veneza, sucesso nos Estados Unidos

Siouxsie relembrou, anos depois, que foi com Sid Vicious que se inspirou a fazer os covers dos Beatles. Em 1976, ela e os amigos (que incluiam os Sex Pistols) fizeram o evento 100 Club Punk Festival, onde “atualizaram” canções religosas com a roupagem punk e Sid sugeriu que deveriam trabalhar com canções dos Beatles. “O espírito dessa idéia ficou comigo. Cresci ouvindo o White Album, eu o amava por ser experimental e se bagunçamos tudo? Ainda melhor”, ela disse.

Para Robert Smith o maior desafio era a versão final, pois considerava a original “inacabada”. Siouxsie and the Banshees gravou o single ainda em turnê, em um estúdio na Holanda. Quando chegaram na Inglaterra se surpreenderam com a canção liderando as paradas de sucesso. Apareceram no famoso Top of the Pops e – em tempos de MTV – gravaram um vídeo em Veneza, com a banda se arrastando pelos canais e ruelas da cidade italiana. Claro, que sendo punks, ignoraram a ordem de só gravar com autorização da prefeitura e quando o baixista Steve Severin foi parado por policiais e escortado para fora da gravação, a imagem ficou no vídeo.

Com Dear Prudence, Siouxsie and the Banshees começou a flertar com as paradas americanas, que iam consquistar no álbum seguinte. A canção hoje é mais associada a eles do que os próprios Beatles. E ainda tem um toque de The Cure nela, graças à Robert Smith.

E a verdadeira Prudence?

Prudence Farrow, produtora, escritora e jornalista, passou a assinar com seu nome de casada, Prudence Bruns, é ainda uma das maiores referências sobre meditação transcendental e temas religiosos. Nunca se afastou dos estudos, mesmo com o suposto assédio sexual do guru em sua irmã, Mia.

Nos anos 1980s, passou rapidamente pelas colunas de fofoca pelas sugestões de ter tido um romance por mais de três anos com o assassino Robert Durst, justamente quando ele ainda era casado com Kathie McCormack, poucos meses antes de seu desaparecimento. Em 2003, Prudence registrou na polícia de que Durst a estava ameaçando porque ela teria terminado o caso três dias antes do desaparecimento de Kathie. Durst foi condenado à prisão pelo assassinato de Susan Berman, que o teria ajudado a eliminar as evidências da provável morte de Kathie. Prudence vive hoje emNova ork, com o marido, três filhos e os quatro netos.

Aqui as versões de Siouxsie e Beatles da canção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s