O atentado contra Charles: será que entra em The Crown?

Um dos fatos que possivelmente estarão em The Crown, na próxima temporada ou na sexta, será um atentado contra a vida do príncipe Charles, durante sua viagem à Austrália, em janeiro de 1994.

Era um momento em que ele estava “recuperando sua imagem”, principalmente depois do impacto da publicação da biografia de Andrew Morton sobre a princesa Diana, revelando para o mundo o sofrimento de um casamento sem amor, sob a sombra de Camilla Parker-Bowles, a verdadeira paixão de Charles.

Um homem tímido, que gosta de discutir assuntos mais profundos e ouvir música clássica, Charles nunca foi exatamente um príncipe “popular”. Famoso? Sim, assim como disputado quando era solteiro, mas jamais adorado como foram Diana e como é Harry, seu filho. Ainda assim, como Diana nos revelou em detalhes, o futuro Rei se importa com a opinião pública e dominou a narrativa até a chegada e dominância de sua esposa. Diana era uma comunicadora nata, sua beleza contribuía para seu carisma, mas com ou sem palavras, desde que foi vista pela primeira vez, em 1980, foi uma paixão mundial. Charles sentia ciúmes e inveja, sentimentos que não ajudaram ao casal superar tantas discrepâncias entre eles.

Como sabemos, e mais tarde ele mesmo assumiu, Charles retomou seu caso com Camila por volta de 1986, segundo ele, após todas as tentativas de fazer o casamento dar certo. Em 1992, após ficar claro que mal se toleravam, a publicação da biografia e o beijo negado em um evento oficial, a toalha foi jogada e a Rainha concordou com a separação oficial dos dois. Não sei como imaginaram que seria o esquema, mas Charles foi um dos mais aliviados com a decisão. Dessa forma, discretamente, podia circular com Camilla entre os amigos, e se concentrar no seu trabalho como príncipe de Gales.

Assim como as pessoas se ressentiram depois de virem a 4ª temporada de The Crown, a imagem do príncipe como um homem frio, insensível ao sofrimento de Diana com a traição, levantavam sentimentos republicanos ou de que William, apenas uma criança na época, fosse o herdeiro de Elizabeth II. Então, quando viajou sozinho para Austrália, para uma série de eventos oficiais, Charles estava no auge de sua meta de recuperar popularidade. E assim veio o tiro que assustou a muitas pessoas.


O jovem de ascendência asiática, David Chang, escreveu uma longa carta para o príncipe, antes de sua visita. Quando estava no mesmo ambiente que Charles, David se aproximou e atirou com balas de festim em sua direção. Mesmo com mais de um tiro disparado, até hoje acham que a segurança demorou a reagir e – se fossem verdadeiras – teriam matado o herdeiro da Coroa, mudando o curso da História. David protestava quanto ao tratamento dado aos imigrantes do Camboja. Foi preso no ato, mas hoje, trabalha como advogado na Austrália.

Depois do atentado que matou o padrinho de Charles, o Lorde Mountbatten, e a tentativa de sequestro da princesa Anne (algo que The Crown pulou), não era exatamente uma surpresa que outro membro da Família Real fosse alvo de terroristas. Nesse caso, Charles, que reagiu friamente e olhou para Nick quase sem reação, mesmo com uma arma apontada para ele, ganhou a simpatia mundial. Até não era popular, mas ninguém queria ver o primogênito de Elizabeth II morto em um atentado.

A onda de simpatia foi bem-vinda pelo príncipe, que não se conformava com tanta rejeição pelo que considerava fofocas. O problema – para ele – foi, praticamente em seguida, conceder uma entrevista super cândida sobre seu casamento. Mas isso, é outro post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s