Rhaenyra Targaryen, uma mocinha conturbada e paranóica

Depois de revisitar o perfil de Alicent Hightower, que será uma das principais antagonistas em House of the Dragon, vamos falar da herdeira oficial de de quem o trono será usurpado por seu irmão, Rhaenyra Targaryen. Se Alicent é a nova Cersei, Rhaenyra tem muito de sua descendente, Daenerys. O conflito civil pode ter ficado conhecido como A Dança dos Dragões, mas foi, sem dúvida, uma das primeiras edições da Guerra das Rainhas.

Interpretada pelas atrizes Milly Alcock (que aparece no trailer como a princesa quando jovem) e Emma D’arcy (também no trailer), Rhaenyra é o coração de toda tragédia que se escreve por causa do amor de um pai por sua filha e, claro, por causa do Jogo dos Tronos.

Uma princesa que era “pura” Targaryen

Desde sempre, os Targaryens costumavam casar entre si, irmãos, tios, primos. Algumas casas externas acabaram incorporadas à família, mas é relevante lembrar que Rhaenyra, como filha de Aemma e Viserys I, que se amavam, era efetivamente uma princesa 100% Targaryen.

Como seus irmãos morreram jovens e sua mãe também, ela foi logo elevada à posição de favorita do Rei, que não se afastava da filha única. A amava tanto que ignorou a Lei que demandava que apenas a linhagem de herdeiros homens tivessem direiro ao Trono de Ferro, uma regra que fez com que Viserys mesmo fosse rei no lugar de Rhaenys, A Rainha que nunca foi. E isso é importante!

Rhaenys era filha do herdeiro do trono, Aemon, e a terceira na ordem hierarquica. Porém, quando seu pai faleceu, seu avô, Rei Jaehaerys I escolheu outro filho, Baelon, para substituí-lo, mudando a linhagem.  Viserys, filho de Baelon, nomeu Rhaenyra sua herdeira e sua decisão abalou para sempre a estrutura dos Targaryens. Com essa decisão, Viserys desagradou seu irmão mais jovem, Daemon, de quem falaremos à parte pois ele será o principal articulador de House of the Dragon. Além do irmão, depois de se casar novamente e ter filhos homens, Viserys desagradou a esposa e os filhos por insistir em manter Rhaenyra como futura Rainha.

A jovem era bela e agradava a todos, mas, sem surpresa, era arrogante, rancorosa e teimosa. Alguns dizem que até invejosa e ciumenta da madrasta, sua antiga amiga de infância e possível rival nos afetos do tio Daemon e Christon Cole. Vaidosa, estava sempre com as cores da Casa Targaryen, jóias e com penteados elaborados.

Seu dragão era Syrax, no qual aprendeu a voar desde os 7 anos. Como estava sempre com o pai, logo aprendeu sobre política pois participava das reuniões. Uns dizem que sua paixão pelo tio surgiu na adolescência, outros alegam que era seu guarda-costas, Ser Criston, o objeto de seu afeto.

O primeiro ano do casamento entre Viserys I e Alicent foi de paz entre as mulheres, porém com o nascimento dos príncipes, a pressão para que os homens fossem priorizados cresceu e a Corte rapidamente se dividiu aos que eram féis à princesa e aos que apoiavam a Rainha, vestindo preto para Rhaenyra e verde para Alicent.

Sedução, casamento e “exílio” em Dragonstone

Os relatos amorosos sobre Rhaenyra são mais abertos do que os de Alicent. Em comum, aparentemente, esteve a sedução das duas ainda jovens por Daemon Targaryen (Matt Smith). O escândalo de ter ou não ter tido um romance com o tio colaborou para duas coisas: o rompimento de Ser Criston e o subconsequente casamento com Laenor Velaryon, filho de Rhaenys. Daemon foi exilado de Westeros por Viserys.

O casamento de Rhaenyra com Laenor não foi feliz. Ele preferia a companhia de homens e ela passou a estar sempre acompanhada de seu segurança, Ser Harwin Strong. Quando seus três filhos não nasceram loiros como os Targaryens, ou Velaryons, as morenos como os Strongs, a rixa entre a Princesa e a Rainha ganhou fôlego. Alicent e os filhos se revoltaram que um dia os bastardos da princesa pudessem ser coroados e as brigas passaram a ser violentas, com um dos filhos de Alicent ficando cego depois de uma batalha. Diz George R. R. Martin que porque Rhaenyra engordou depois de cada gravidez, sem voltar ao peso anterior, que ela passou a ressentir a beleza física de Alicent, que se manteve magra mesmo depois de três filhos. Desde os 16 anos, quando as brigas com Alicent estavam insuportáveis, que Rhaenyra vivia em Dragonstone e por isso passou os últimos anos de Viserys longe do pai.

Depois de ficar viúva e seu amante ser morto, Rhaenyra se casou com seu tio, Daemon, com quem veio a ter mais dois filhos. Viserys I ficou revoltado com a notícia da união, mas acabou fazendo as pazes com o irmão.

Um corte, muito sangue de uma Guerra Civil

Por causa de um acidente tolo, depois que cortou a mão em uma das espadas que formavam o trono, Viserys I morreu repentinamente (e suspeitadamente), levando à Rainha Alicent a agir. A sucessão oficial, promulgada pelo Rei dizia que Rhaenyra deveria subir ao Trono de Ferro, mas Alicent, com a ajuda de Ser Cole, escondeu a notícia da morte do marido e coroou seu filho, Aegon II, como Rei de Westeros.

Rhaenyra, claro, ficou revoltada. Estava grávida do terceiro filho com Daemon quando soube tanto da morte de Viserys como do golpe de Alicent e por isso abortou sua filha, passando a querer dupla vingança por suas perdas. Se auto coroou em Dragonstone e o Reino se dividiu entre os que a respeitavam como Rainha e os que viam Aegon II como Rei.

A partir daí, ambos os lados colecionam mortes. Os filhos de Rhaenyra com Laenor, os filhos de Alicent com Viserys… nenhuma vitória era completa. Eventualmente a King’s Landing passa para o controle de Daemon e Rhaenyra, mas apenas por seis meses. Como estava acima do peso, acabava se cortando no Trono de Ferro, alimentando a lenda de que foi rejeitada por ele.

Cada dia mais paranóica, o curto reinado de Rhaenyra foi marcado por perseguições e execuções. Uma delas acabou levando ao ex-sogro, Lord Corlys Velaryon a trocar de lado na Guerra Civil, assim como outras casas, justamente quando a princesa se torna viúva, com a morte de Daemon em uma batalha. A morte da princesa Helaena, oficialmente suicídio, colocou a opinião pública contra a Rhaenyra que acabou fugindo de King’s Landing. Foi traída quando retornou para Dragonstone e entregue ao meio-irmão, Aegon II. Sem pestanejar, o Rei entregou Rhaenyra para ser comida viva pelo seu dragão, Sunfyre. O filho dela foi obrigado a assistir a execução.

Ironicamente, Aegon II morreu pouco tempo depois, sem deixar um herdeiro homem. Dessa forma, o filho caçula de Rhaenyra, que a viu morrer, subiu ao trono como Aegon III apenas um ano após o fim do conflito.

Daenerys e Rhaenyra, a loucura do Poder

Assim como Daenerys, Rhaenrya não vai lidar bem com as perdas e o isolamento do Poder. Seus conselheiros têm outros interesses, como Daemon que quer ele mesmo a Coroa, e, a cada perda de um filho, menos a Rainha fica centrada, Também como Daenerys, é traída por pessoas próximas, contrinuindo para uma paranóia excessiva, o que custa a vida de inocentes a lealdade de importantes aliados.

Em Game of Thrones, Daenerys exerce o Medo nas pessoas, mas inveja a admiração e amor que devotam a Jon Snow, por exemplo. Até Cersei tem o apoio da população. Rhaenyra não vai queimar King’s Landing, mas é em seu reinado que haverá uma revolta popular e muitos dragões serão mortos.

O reino de Rhaenyra será caótico, violento e ressentido. Ainda assim, ela era a verdadeira Rainha e toda sua destruição foi consequência da ambição de outros, mas ela que pagou o preço.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s