Um olhar sobre o arco de Marcus Drusus/Caleb

A essa altura, qualquer personagem que Travis Fimmel dê vida será interessante. Como intérprete, ele busca personalidades com falhas, pessoas com camadas e dimensões que nos impedem de julgá-las binariamente com facilidade. Ragnar Lothbrok era um herói com falhas em Vikings, mas Marcus Drusus, de Raised by Wolves, leva Travis para outro patamar. E com o final de temporada tão, bem, confuso? vale voltar os olhos para o único homem cuja inteligência e instinto de sobrevivência o colocam em destaque em uma trama tão maluca como a da série. A evolução da personagem apontava para um lado fascinante e terminamos, literalmente, suspensos sobre seu destino.

O verdadeiro Marcus e o que conhecemos

Jamais conhecemos o verdadeiro Marcus Drusus de Raised By Wolves. Ele foi assassinado pelo ateísta Caleb, um homem capaz de tudo para sobreviver e fugir da Terra em seus últimos momentos de planeta habitável. Pelo que percebemos, ele era proeminente entre os Mitraicos, um capitão que lutou na Guerra religiosa e que tinha um filho, Paul, mas pouco se relacionava com ele. Em outras palavras, não iríamos sentir falta desse homem devotado a Sol.

Já Caleb, um órfão recrutado pelos ateístas ainda criança, é um homem programado para sobreviver primeiro, questionar depois. Estrategista nato, desconfiado e exímio soldado, é, sem dúvida, o homem mais inteligente de Kepler 22-b. Sua sinceridade é seu charme, mesmo quando está sob a influência de Sol é mantida e por isso é um líder nato. Ele fala a verdade, o que pensa e sente, sempre sucinto e preciso. Quando o apelidaram de “terrorista” foi a mais irônica e adequada das referências sobre quem realmente ele é.

Caleb/Marcus odeia – odiava e agora voltou a odiar ainda mais – religião pois foi o que custou sua infância, a vida de seus pais, seu planeta. Mitraicos são os inimigos, os loucos. O que não quer dizer que não tenha que ter cuidado ao lidar com eles. Porém, diferentemente de seus amigos ateístas, Caleb/Marcus tem um ressentimento e desconfiança de igual volume quanto à tecnologia de andróides. Ele é o único a ter essa aversão tão profunda e ainda inexplicada, mas que fazem dele ainda mais “perigoso”, e único. Ele respeita e entende a capacidade dos andróides da mesma forma que respeita o potencial letal dos teocratas que adoram Sol: essa desconfiança eterna o colocam à frente sempre – ou quase – de todos.

O que os nomes escondem e sugerem

Nada em Raised by Wolves é por acaso e os nomes têm significado.

Marcus Drusus foi um importante político reformador na antiga Roma, que viveu antes de Cristo e promoveu mudanças nas leis romanas, como os projetos de lei de reforma colonial e agrária, assim como tentou resolver as tensões entre a ordem senatorial (a classe política) e a ordem equestre, ou cavaleiros (a classe comercial). Depois sugerir cidadania e emancipação dos aliados de Roma, acabou assassinado, dentro de casa, e a consequência foi o desencadeamento de uma guerra civil que só chegou ao fim quando Lucius Cornelius Sulla (reparem, LUCIUS) conseguiu unificar o império romano, anos depois. Esse é um resumo muito generalizado, tem muito mais detalhes históricos, mas o que importam são os nomes. Marcus foi morto, Lucius saiu vitorioso em seu nome depois.

Caleb, em hebraico se traduz por “fiel, zeloso, implacável, ousado, corajoso”, mas, por ter natureza de palavra composta, que era comum no hebraico antigo, também significa “coração”, ou seja, sua tradução mais provável é “de todo o coração” ou “singularidade”. Segundo os escritos, ele foi um dos doze espiões enviados por Moisés a Canaã com o objetivo de explorar por 40 dias, Negev e arredores, e fazer uma avaliação completa do local, população e seu potencial. Foi Caleb que, segundo os escritos, teria acalmado o povo sobre Moisés e pedido confiança em Deus.

Ao combinar as habilidades de um reformador e um homem de fé, Raised by Wolves poderia estar criando o herói perfeito, mas o que vemos é um antagonista complicado justamente por ser tão único. E ter um ator destemido como Travis Fimmel para dar vida a ele fez toda diferença.

Arco interrompido?

Na primeira temporada, Marcus (vamos facilitar e esquecer o “Caleb” a partir de agora), era nosso anti-herói, mas herói. Matou um “inocente” para pegar seu lugar, mas adotou seu filho Paul com mais carinho e consideração que o menino jamais tinha conhecido. O plano era chegar a Kepler 22-b e assim que possível fugir com Sue, sua esposa (na verdade, “Mary”), e Paul, claro, para a área tropical e viverem sem religião, tranquilos e em paz. Simples demais para Raised by Wolves.

Ainda disfarçado faz uma cobertura de área e esbarra com Lamia e Campion, descobre que ela é uma Necromancer, mas ela mata quase todos da arca e sequestra algumas crianças, dentre elas, justamente Paul. Para Marcus e Sue em tese agora seria ainda mais fácil para se livrarem do problema, mas já estavam apegados ao menino e acabam desviando fatalmente o planejamento. Marcus é “infectado” com a voz de Sol, vira uma espécie de O Iluminado, é desmascarado por Lucius e abandonado para morrer.

Na segunda temporada o vemos com poderes emprestados dos olhos da necromancer, ainda devotado a Sol, mas já criando uma nova religião mais democrática. Infelizmente os ateístas não são melhores que os mitraicos e atacam justamente… Paul, unindo Sue e Marcus novamente no objetivo de salvar o filho (tendo o apoio de Lamia). Que virada! Que legal! Mas não.

Sue vira árvore, Marcus desiludido e sem a influência da voz volta a ser o que era e agora, parceiro de Lamia, declara guerra a Sol. Oba!!! Que virada! Que legal! Mas não.

Eu avisei que quando Father e Mother prometeram a Lucius que ele poderia matar Marcus que isso teria consequência. Porém nem nós poderíamos imaginar que era justamente Sol que iria se aproveitar da oportunidade única. Não sei se celebro essa virada ainda.

Tenho traumas desde Game of Thrones, que tirou de Jon Snow o heroísmo para subverter expectativas, quando invertem tão radicalmente o arco de uma personagem. Marcus já tinha passado pela influência de Sol, sabia ser suscetível (todos avisaram, incluindo a Grandmother) e não negava – porque ele sempre foi honesto em todas suas desonestidades. Mas o potencial de sua união com Lamia contra Sol e Grandmother era muito interessante e agora ficamos – de novo – no ar e de ponta cabeça.

Vamos descobrir em 2023 ou 2024, quando oficializarem uma terceira temporada… e teremos Travis Fimmel, o Iluminado, a continuação. Será?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s