A juventude de Elizabeth I vira série da Starz

As séries biográficas sobre as Rainhas inglesas, todas produzidas e disponibilizadas pela plataforma Starzplay, revisitaram com outros olhos as vidas de Elizabeth Woodvile em The White Queen, de Elizabeth de York em The White Princess e a de Catarina de Aragão em The Spanish Princess, a Starz tem mais duas séries sobre importantes monarcas mulheres prontas: a série The Serpent Queen, sobre Catarina de Medici (ainda sem data prevista) e Becoming Elizabeth, a série que vai recontar a pouco explorada juventude da Rainha Elizabeth I. Essa produção já tem data de lançamento confirmada para 12 de junho.

Embora as três primeiras tenham sido adaptadas dos best sellers de Philippa Gregory, Becoming Elizabeth foi escrito por Anya Reiss e traz a alemã Alicia von Rittberg como a jovem Elizabeth I. A trama começa imediatamente após a morte de Henrique VIII, que deixou três filhos: Mary (filha de Catarina de Aragão, interpretada por Romola Garai), Elizabeth (filha de Ana Bolena) e Edward VI (filho de Jane Seymour, interpretado por Oliver Zetterström), cada um filho de uma mãe diferente e de fés conflitantes.

Elizabeth, já adolescente, tem idade suficiente para lidar com os jogos da Corte, mas os três irmãos viram “peões em um jogo entre as grandes famílias da Inglaterra e as potências da Europa que disputam o controle do país”. Edward, como herdeiro homem, é coroado no lugar deixado pelo pai, mas desconfia das duas irmãs e se apóia na prima, Jane Grey (Bella Ramsey, a inesquecível Lyanna Mormont de Game of Thrones). As vidas dos quatro será marcada pela tragédia, mas, em especial, os traumas da juventude de Elizabeth irão marcar para sempre sua personalidade e reinado, depois da morte dos dois irmãos da prima, que estavam à sua frente na linha sucessória do trono.

Pelo trailer, a série vai abordar um dos casos mais polêmicos e jamais explicados da vida de Elizabeth I, como quando teria sido abusada sexualmente pelo tio, Thomas Seymour (Tom Cullen, de Knightfall), irmão e Jane Seymour e quarto marido de Catherine Parr (Jessica Raine), viúva de Henrique VIII. Isso mesmo, beeeem confuso.

Thomas Seymour era tio sanguíneo de Edward, e, mesmo com toda conexão familiar, flertou com a menina de apenas 14 anos. Na época, havia dúvidas se Thomas, que ambicionava ser o homem mais poderoso da Inglaterra, e Elizabeth teriam se apaixonado e tido relações sexuais. Becoming Elizabeth parece que vai explorar essa relação (colocando Elizabeth I mais velha do que realmente era na época). Segundo consta, a governanta da futura Rainha ficou incomodada com a crescente intimidade entre eles, alertando a Catherine, que descartou o comportamento dos dois como “diversão inocente”, e até se juntou às “brincadeiras” em algumas ocasiões, como as que rasgaram as roupas de Elizabeth I quase a deixando nua em público.

Como jovem, Elizabeth achava Thomas mais divertido do que perigoso, mas logo até Catherine passou a achar o relacionamento excessivo, mandando a enteada embora para morar com outras pessoas, plantando a semente da fofoca que até hoje perdura. Catherine morreu logo depois, de parto, e uma vez viúvo, se voltou para Elizabeth abertamente, porém a essa altura, ciente dos comentários e riscos, a princesa passou a evitá-lo. Também, segundo historiadores, foi nessa época que seu relacionamento mais duradouro, com Robert Dudley (Jamie Blackley), teria começado.

Thomas caiu em desgraça ao desafiar o irmão, principal conselheiro do Rei. Ao tentar invadir o quarto de Edward VI armado, foi preso e enviado para Torre de Londres. Havia rumores de que ele, em acordo com Elizabeth, iria matar o Rei para passar para ela a Coroa. Ela foi presa e interrogada por semanas a fio, ficando genuinamente apavorada quando percebeu o perigo de morrer. Foi quando deu o seu primeiro sinal de astúcia, que ficaria claro em seu reinado, ao se manter lógica e firme. Os detalhes embaraçosos do comportamento de flerte de Seymour e Elizabeth I vieram à tona, mas não houve como encontrar evidências de que ela tivesse conspirado com ele. Thomas foi executado por traição em 1549. Drama, sexo, violência e conspiração. Elementos perfeitos para uma série! Dia 12 de junho!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s