A definição de fenonemo: Game of Thrones

Game of Thrones está se distanciando de todas as franquias quando discutimos “fenômenos”. Há enormes sucessos, há marcas tradicionais, marcas apreciadas assim como popularidade momentânea. Porém, quando se fala de fenômeno, é algo inigualável. Como Game of Thrones.

Embora o grupo do “não vi não gosto”, “vi e me cansei” ou até o “nunca vi nada demais na franquia” tenha volume, os números são inegáveis. Segundo o IMDB, o site de maior confiança e informação sobre a indústria, Game of Thrones ainda está entre os 10 títulos mais assistidos em 2022.

A série, que estreou há 11 anos, foi ao ar pela última vez em 2019. No meio tempo, várias febres tomaram conta do mercado, incluindo a franquia da Marvel e de Star Wars, cujo novo comportamento de consumo, direto das plataformas dos estúdios em tempo real e mundial, ganharam espaço. Porém, todas elas estão em produção, com conteúdos no cinema, na plataforma e video nos últimos 15 anos. Game of Thrones está sem colocar NADA novo há quatro anos. Estar na 10ª posição do ranking confirma seu status de superioridade em relação aos demais conteúdos, independentemente se você é fã ou não.

A franquia, que veio para a TV (sim, não havia distribuição online significativa em 2011) com uma base de fãs apaixonados pelos best sellers de George R. R. Martin com mais desafios do que vantagens. A começar pelo gênero de fantasia, difícil de emplacar no linear e considerado nichado. Tinha um elenco com poucas estrelas conhecida, na verdade, seu maior astro – Sean Bean – é morto antes da 1ª temporada acabar. A série lidava com zumbis, dragões, magos… mas acima de tudo, as relações humanas alteradas ou condenadas pela sede ao Poder.

Tudo bem, o final da série é considerado um dos piores, ou no mínimo, polêmicos de todos os tempos. Embora não seja adepta do discurso que a negatividade tenha vindo de fãs que não queriam se despedir da série, vê-la ainda entre as mais assistidas tantos depois, me faz dar um pouco mais crédito a essa defesa. Por outro lado, a menos de dois meses da estréia de House of the Dragon, a prequel que vai contar uma parte da história dos Targaryens, também contribui para elevar o conteúdo no ranking.

Os outros títulos que estão entre os 10 anos são:

10 – Game of Thrones

9 – The Staircase

8- Barry

7- Better Call Saul

6- First Kill (que estreou esse mês)

5- Ms Marvel (também lançado em junho)

4- Peaky Blinders (que estreou no Reino Unido em janeiro, mas só chegou à Netflix em junho, com a temporada final)

3- Obi-Wan Kenobi (lançada em maio)

2- The Boys (última temporada lançada há duas semanas)

1- Stranger Things (a febre do ano e aguardando a segunda parte da temporada essa semana).

Você concorda com esse ranking?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s