Look preferido de figurinista de ‘House of the Dragon’ foi cortado da série

Como publicado no UNIVERSA

Das poucas unanimidades da série “Game of Thrones” entre fãs apaixonados, que até hoje brigam por personagens como fossem pessoas reais, há a música e os figurinos. O compositor Ramin Djawadi se manteve na equipe para “House of the Dragon“, mas no guarda-roupa houve mudança, e Michele Clapton não está na produção da prequel. Para aficionados, houve uma certa tensão porque o premiado trabalho de Michele ainda é um dos destaques da franquia, com prêmios, livros e exposições ao redor do mundo. A designer colaborou na narrativa da história com roupas repletas de detalhes, mesclando metal e seda, mantendo as cores e símbolos de cada casa e refletindo o espírito de cada personagem.

Quem ganhou a difícil missão de substituir a genialidade de sua antecessora é Jany Temime, mais do que acostumada com franquias e universos de fantasia. Temime desenhou todos os figurinos de Harry Potter, deu elegância e estilo a James Bond nos filmes “Skyfall” e “Spectre”, além de vestir a personagem Natasha Romanov vivida por Scarlett Johansson no longa da Marvel, “A Viúva Negra”. Jany também recriou figurinos de Judy Garland em “Judy”.

Jany Tamime nasceu na França, filha de donos de empresas de prêt-à-porter e desde nova criava os vestidos de suas bonecas. Formada em História da Arte, começou como trainee a na redação da revista Elle, mas logo passou a trabalhar na indústria de cinema. Primeiro na Holanda, onde foi ganhando reconhecimento até que se mudou para Londres onde foi convidada a criar todo o visual para os filmes de Harry Potter, assinando nada menos que todos os seis filmes da franquia.

A versatilidade criativa de Jany é de tirar o fôlego, pode ser os ternos bem cortados de James Bond, nos uniformes dos exércitos russo para vestir Yelena (Florence Pugh) e Natasha Romanov (Scarlett Johansson) ou o trabalho de fã e de amor em “Judy”. As roupas de “House of the Dragon”, com detalhes de cada personagem e Casa que representam despertou elogios do próprio elenco, como o ator Matt Smith, que elogiou Jany em suas entrevistas sobre a série. Discreta e superocupada na Itália, na produção de seu próximo trabalho, Jany conversou exclusivamente para Universa sobre a série que está quebrando os recordes desde o início de setembro.

UNIVERSA Seu trabalho tem sido incrível, em tantos conteúdos diferentes que são inspiradores! Quem te inspira e quais foram seus principais desafios no negócio?
JANY TEMIME A verdade é que a inspiração está em todo lugar então não há como citar exemplos específicos! Mas meu maior desafio, incrivelmente, foi o de sempre manter uma inspiração ainda fresca, nova, com cuidado de nunca me copiar.

O desafio de recriar peças, como os figurinos incríveis de “Judy” são mais difíceis do que os figurinos históricos de “House of the Dragon”?
Sabe, “Judy” também foi um processo criativo e trabalhamos em cima do roteiro, com Renée Zellwegger vestindo o que criei. Não foi um trabalho para Madame Tussaud.

Em “House of Dragon”, as roupas são uma grande parte da narrativa e nos apresentam a personalidade dos personagens, bem como a época em que a história é contada. Você teve acesso aos scripts desde o início?
Houve muitos detalhes vindos do roteiro ou você pode trazer ideias para as peças? Sim tive acesso, porque um bom relacionamento com diretores e equipe é essencial para minha criação e colaboração. Afinal, estamos trabalhando juntos para o mesmo projeto. São os atores que vestem os figurinos, então suas ideias são sempre muito importantes. A personalidade de cada soma assim como seus talentos, são, na verdade, o início dos designs, por isso as peças são pensadas para eles.

Aos poucos podemos ver o amadurecimento de Alicent como Rainha, mostrando mais decotes e bordados, usando joias, deixando de ser tímida e ficando mais confiante. Seus vestidos mostram esse desenvolvimento. O que podemos esperar da nova Rainha de Westeros?
O look mais bonito de Alicent foi seu vestido de noiva, estava incrível, mas infelizmente foi cortado no final do segundo episódio. Que pena! Lá estava ela, magnífica, uma rainha. Mas tudo bem, ela ainda tem muito mais vestidos lindos vindo. Mas, infelizmente, o vestido de noiva não foi mostrado em nenhum lugar porque a cena foi cortada. Tenho medo que nunca será visto…

[Depois da entrevista, o diretor Greg Yaitanes compartilhou fotos no stories, no Instagram e os fãs e sites reproduziram]

O guarda-roupa de Matt Smith também é incrível, sua armadura e suas roupas sempre tão elegantes. Cada Targaryen tem seu próprio estilo? Como eles diferem um do outro?
Adoro alfaiataria masculina, como mostram meus dois filmes de James Bond. A inspiração para o Matt [Smith] foi uma saia Samurai que encontrei e que cortamos como sua túnica usando o shape dele. A primeira adaptação foi um grande sucesso e ele se move brilhantemente com a roupa. Fiquei feliz porque ele adorou….

“House of the Dragon” é um universo de fantasia, mas muito próximo de um período medieval. Existe algum período específico e personagem histórico que pode ter inspirado você ou usado como base para o que vemos em Westeros?
Exatamente, ‘House Of the Dragons” é uma fantasia e os tempos medievais carregam bem o espírito da história. Dito isso, confesso, me inspirei muito no início do Renascimento para alguns elementos do figurino, fugindo um pouco do período histórico.

Todas as roupas desta temporada de “House of the Dragon” foram muito elogiadas pelos fãs, como já mencionei. Quantos detalhes de cada casa vão para as roupas? Quantas maneiras diferentes de inserir dragões?
Sim, as cores são essenciais para diferenciar as Casas, assim como foi em Harry Potter, por exemplo. Agora os dragões estão por toda parte em “House of the Dragon”, são fonte de detalhes, das estampas, das bijuterias etc. Fogo e caudas. Desenhei os bordados, usei muitas escamas em couro, em tecidos. Para as armaduras… Não há traje Targaryen sem uma associação de dragão. Tentar encontrar os dragões deve ser o desafio! Deixo para os fãs se divertirem os identificando!

Rhaenyra e Alicent jovens ainda não estão vestidas com “suas cores” – preto e verde – como será a transição? Elas vão começar logo, no episódio 6, quando passam para a versão adulta. Na verdade, Rhaenyra um pouco mais cedo do que Alicent, mas não posso revelar muito ainda.

Qual é a tendência da moda na primeira parte da história e como ela será envolvida? Seremos capazes de dizer a mudança de tempo pela maneira como eles se vestem também? Ah, veremos ainda. Ainda é primavera, o inverno ainda não chegou! [aqui, ela brinca com o lema da Casa Stark, de “Game of Thrones”, que dizia “o inverno está vindo”]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s