A volta dos Starks em House of the Dragon

No primeiro episódio de House of the Dragon ouvimos Rickon Stark jurar lealdade à princesa Rhaenyra como sucessora para o Trono de Ferro, mas, depois, nada de Starks na série. Para os fãs de Game of Thrones, eles eram os nossos “Pretos”, os mocinhos cinzentos na trama, massacrados por seus inimigos mas terminando a saga com o primeiro Stark reinando por todos seis (o Norte permaneceu independente) de toda Westeros. Porém, terminamos a primeira temporada de House of the Dragon com uma certeza: o inverno está vindo.

Príncipe Jacaerys foi encarregado de voar até Winterfell e confirmar onde a Casa Stark se coloca no conflito entre os Targaryens. Desta forma, certamente ouviremos o tema Goodbye Brother, que é o tema dos Starks e revisitaremos um dos cenários mais marcantes do universo criado por George R. R. Martin.

Devemos aproveitar cada minuto, fica o aviso. Depois dessa passagem, que já vamos voltar a falar, os Starks voltam no final da história, com mais uma passagem marcante. E eles são uma casa de palavra: o apoio é para Rainha Rhaenyra.

A Internet já está agitada com as especulações de quem vai interpretar Cregan Stark, o patriarca que fará o papel de Ned Stark para nós. Igualmente, há curiosidade sobre Sara Snow, sua irmã bastarda, que alguns alegam ser um romance para Jacaerys. Se Robert Arayamo não estivesse comprometido com Rings of Power, eu adoraria vê-lo na série com um papel potencialmente maior. Sua ponta como o jovem Ned Stark foi um dos momentos mais marcantes da franquia e ele provou seu talento como ator. Posso sonhar com ele como Cregan? Outro nome que os fãs gostariam ser considerado é Travis Fimmell, mas infelizmente parece difícil também.

Cregan Stark terá um papel essencial no conflito da Dança dos Dragões, dando início ao breve período da Hora do Lobo, marcante para o filho de Rhaenyra e Daemon, Aegon III. Antes disso vamos lembrar sua história.

Filho do Lord Rickon, Cregan tinha 13 anos quando seu pai faleceu e seu tio, como regente, demorou a passar o poder para o verdadeiro herdeiro, gerando uma relação complicada na família. Tanto que ao assumir seu papel de Protetor do Norte, Cregan mandou prender o tio e seus três primos.

Na vida amorosa também não teve sorte. Se casou com a namorada de infância que faleceu de parto, gerando o único filho dos dois, Rickon (em homenagem ao avô). Cregan já tinha perdido um irmão mais novo e convivia bem com sua irmã bastarda e quando conhece Jacaeyrs, transfere parte dos sentimentos fraternais para ele.

Apesar da Casa Stark permanecer desinteressada na política real e distante dos assuntos da corte, manteve seu apoio à Rainha Rhaenyra Targaryen e estabeleceu com Jace um Pacto de Gelo e Fogo, onde uniriam suas casas com os filhos de Cregan e Jacaerys. No entanto, antes de ir ao Sul lutar pela Rainha, precisavam se preparar para o inverno e isso reduziu por um tempo a força dos pretos.

Roderick Dustin, Senhor de Barrowton, comandou a primeira onda de nortenhos na Guerra Civil, os Winter Wolves, vitais na vitória contra os Verdes em Riverland, mas derrotados a seguir na Primeira Batalha de Tumbleton.

Logo após a morte trágica do príncipe Jacaerys, Rhaenyra precisou fugir de King’s Landing por conta de uma revolta popular (orquestrada por Larys) especialmente depois da Tomada de Dragonpit (e o extermínio dos dragões). Cregan mandou uma mensagem de Winterfell avisando que reuniria dez mil nortenhos para defendê-la. Infelizmente, tarde demais. Aegon II mata a irmã em Dragonstone.

Para um Stark, não importou a vitória dos verdes. Rhaenyra era a Rainha por direito e portanto seu sucessor deveria ser Aegon III, refém do tio de mesmo nome. Cregan marchou até o Sul, chegando à capital logo após Aegon II ter sido envenenado por seus apoiadores, Lord Corlys Velaryon entre eles. Defensor da Justiça, Cregan prendeu muitos membros da Corte pelo assassinato de Aegon II e por seis dias liderou o Conselho no Red Keep e por isso ficou conhecido como a Hora do Lobo. O novo rei, Aegon, o Jovem, ainda estava preso e diante do claro poder de Cregan, foi libertado e coroado. Lorde Stark – pela Paz – aceitou não condenar os traidores à morte e foi nomeado Mão do Rei.

Para um jovem traumatizado Aegon III, a presença de Cregan foi essencial para se estabelecer como Rei. Ele conseguiu condenar boa parte dos traidores de Rhaenyra, incluindo Corlys Velaryon, Senhor das Marés, que alegava ter agido pelo bem dos Sete Reinos, e Larys Strong, Senhor de Harrenhal, que se recusou a oferecer uma defesa. As netas de Corlys, Baela e Rhaena convenceram o príncipe Aegon a poupar Corlys.

Como o homem que passa a sentença tem que ser o executor, Cregan Stark decapitou os traidores, mas também deixou sua posição de Mão do Rei para retornar ao Norte. Aegon III foi eternamente grato ao apoio incondicional dos Starks. Infelizmente o pacto de unir Fogo e Gelo só viria a se concretizar anos depois, com os pais de Jon Snow, outra história.

Diante disso tudo, será essencial acompanhar a escolha e a entrada dos Starks em House of the Dragon. Quem está ansiosa?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s