A história de Goldfinger, a canção

Os dois primeiros filmes da franquia 007, apresentando Sean Connery como James Bond, fizeram sucesso de público e bilheteria, mas foi o terceiro longa que solidificou a fama do espião inglês.

007 contra Goldfinger, de 1964, é um mais icônicos de todos, tendo apresentado vários ítens clássicos, e talvez, o mais adorado de todos: Shirley Bassey cantando o tema de abertura.

A cantora galesa de 26 anos virou uma estrela internacional com sua potente voz e fôlego (sustenta a nota final por longos nove segundos), criando uma assinatura para a marca James Bond.

Os créditos de abertura dos dois primeiros filmes não eram cantados, o que já diferenciou Goldfinger logo de cara. Ele abre grandioso, com os trompetes jogando as notas altas e a voz poderosa de Shirley Bassey “apresentando” o vilão. Ela canta:

Goldfinger, he’s the man, the man with the Midas touch
A spider’s touch
Such a cold finger beckons you to enter his web of sin, but don’t go in

Golden words he will pour in your ear, but his lies can’t disguise what you fear
For a golden girl knows when he’s kissed her
It’s the kiss of death from Mister Goldfinger
Pretty girl beware of this heart of gold, this heart is cold


Escrita por John Barry, Leslie Bricusse e Anthony Newley, Goldfinger era originalmente jazzistica e para ser cantada suavemente, como se ouve com a demo do autor, Anthony Newley (veja o link abaixo). No entanto, seria estranho um homem cantar sobre os perigos de Goldfinger e, na busca de uma voz feminina, chegaram à Shirley Bassey. A interpretação dela mudou tudo. Goldfinger foi a primeira das canções de James Bond a entrar para o Top 10 das mais tocadas, abrindo caminho para outra tradição da franquia.

Nem tudo foi fácil nos bastidores. Leslie e Anthony acharam as primeiras notas da canção parecida com Moon River, brincando com John Barry sobre isso. O compositor não achou graça, claro.

Quando Shirley Bassey gravou a versão que é a definitiva da canção, a igualmente clássica abertura já tinha sido filmada. Com uma tela de cinema diante dela, a cantora conseguiu sincronizar seu canto com as imagens. Diz a lenda que quando chegou à nota final, bem, ainda tinha mais imagens e ela não tinha mais letras portanto precisou improvisar. Daí as notas altas e esticadas, com seu incrível alcance, mas que quase levaram ela a desmaiar quando acabou. Segundo a própria Shirley contou, para conseguir cantar e alcançar as notas, precisou tirar o sutiã para ter mais liberdade de respiração.

Shirley Bassey em 1965

Qualquer que seja a verdade, foi um grande sucesso. Por isso, Shirley voltou para cantar mais duas vezes (Diamonds are Forever e Moonraker), sendo a única artista a cantar três aberturas de James Bond. A inspiração das suas canções quando Adele lançou Skyfall não passou desapercebida, mas isso é outra história.

Ouça a versão original de Goldfinger aqui:

E claro, a definitiva:

Mais sobre 007:

5 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s