A genialidade e riqueza dos figurinos de Bridgerton

Não há como contar uma história corretamente, ainda mais se for de época, se os figurinos não estão condizentes. As roupas são elementos essenciais da narrativa e o fato de Bridgerton ter a assinatura da equipe de Ellen Mirojnick, prova que Shonda Rhimes nunca está de brincadeira.

Ellen é uma das mais brilhantes figurinistas em atividade em Hollywood e desde os anos 1980s criou algum dos looks icônicos que saíram das telas e passaram a influenciar a moda. Angelina Jolie e – especialmente – Michael Douglas, só trabalham com ela. Antes de Bridgerton, ela também tirou o nosso fôlego em O Rei do Show.

As paletas de cores, os detalhes dos bordados e as perucas são tão espetaculares que vale um binge apenas para apreciação dos detalhes. Foram 7.500 peças feitas especialmente para a primeira temporada. Apenas a atriz Phoebe Dynevor, que interpreta Daphne Bridgerton, vestiu 100 vestidos feitos à mão especialmente para ela.

Ellen brilha em filmes de época, mas sua assinatura é forte em filmes contemporâneos. Ela ganhou o Emmy de Melhor Figurino por Behind Candeladra, mas sua parceira de mais de 40 anos com Michael Douglas começou através Adrian Lyne em Atração Fatal. Na época de mangas bufantes e cabelos com mousse, o visual de Glenn Close ficou histórico.

Logo depois, voltou a vestir Michael no seu papel vencedor do Oscar, Wall Street, de Oliver Stone. As roupas dos executivos no filme influenciou a moda masculina dos anos 1980s.

Em Instinto Selvagem, as roupas de Sharon Stone mereceram um estudo à parte e Ellen escolheu deliberadamente vestir a vilã de branco, brincando com a percepção das cores e evitando a sexualizada assassina ser mostrada com roupas decotadas ou insinuantes. Sua sensualidade estava inclusive nas golas rolê. E quem esquece “aquele” vestido branco?

Com Angelina Jolie, Ellen trabalhou no dramático By the Sea, onde a reconstituição de época parece um ensaio de moda de revista, assim como reflete a tristeza e isolamento da personagem.

As duas também repetiram a dobradinha em Malévola 2, onde as roupas de Ellen Fanning e Michele Pfeiffer são nada menos do que espetaculares.

A figurinista adorou trabalhar com as cores e pesquisa para fazer O Rei do Show. Algumas das personagens existiram mesmo, como a cantora Jenny Lind, interpretada por Rebecca Fergunson. Mais um vestido branco para entrar para a história do cinema.

Em Bridgerton, Ellen Mirojnick tomou uma única decisão ousada. Nenhuma das personagens iria usar os famosos gorros da época. E as roupas masculinas têm tantos detalhes de bordados e cores como as das mulheres.

A tensão para o elenco ficou em evitar de alguma forma sujar as roupas enquanto trabalhavam, mesmo que estivessem, como acontece com frequência, comendo alguma coisa. Para Phoebe Dynevor foi ainda mais difícil pois há cenas que demandavam, bem, um pouco de lama. Mas fazia parte da trama, ela foi perdoada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s