A canção que Sinatra escreveu para Ava Gardner

Frank Sinatra gravou milhares de canções ao longo de sua carreira, fazendo verdadeiros clássicos. Porém não era compositor. É creditado por ter escrito as letras de apenas quatro canções: This Love of Mine, em 1941; Mr. Success, em 1958, Mistletoe and Holly, em 1958 e…. I’m a Fool to Want You, em 1951. Ninguém duvida quem o inspirou para uma das mais sofridas canções de amor no repertório do cantor: Ava Gardner.

I’m a Fool To Want You foi regravada por 212 artistas, incluindo Billie Holliday, e é na voz dela, não de Sinatra, que a canção ficou famosa. Ela fala do sofrimento de uma pessoa apaixonada por outra que tem um espírito livre, que desconhece fidelidade e que só traz sofrimento. Uma canção que eternizou a dramática união do casal, um dos mais lendários de Hollywood.

Ava Gardner, que hoje, 25 de janeiro de 2022, completa 32 anos de morte (seu centenário é em dezembro), foi uma das atrizes mais bonitas no cinema mundial e uma das mais autênticas também. Foi descoberta aos 19 anos e ficou famosa ao estrelar ao lado de Burt Lancaster o clássico Os Assassinos. Em tempos de cinema teatral, era considerada uma boa atriz e chegou a ser indicada ao Oscar pelo filme Mogambo. Estrelou filmes como A Condessa Descalça, Show Boat, As Neves de Kilimanjaro, A Noite da Iguana, entre outros. Era desbocada, independente e ousada. Bebia e fumava muito, gostava de noitadas e vivia abertamente seus romances sem se importar com a opinião pública.

Sua honestidade a diferenciava das outras estrelas, ao escrever sua autobiografia (deliciosa, recomendo!), nos anos 1980s, ela explicou: “Ou escrevo o livro ou vendo as jóias, mas sou apegada às joias”. Outras pérolas fantásticas são creditadas a ela: “Quando eu perco a paciência ninguém pode encontrá-la” ou “A verdade é que adorei minha vida. Me diverti muito”.

A vida pessoal – e conturbada – de Ava foi a que ficou eternizada por três casamentos (Mickey Rooney, Artie Shaw e Sinatra), romances com toreadores e amizades com estrelas como Grace Kelly e Lana Turner. Seu namoro e amizade com Howard Hughes foi tão significativa que foi retratada no filme O Aviador. Mas foi a paixão enlouquecida de Sinatra por ela que ficou eternizada como uma das grandes histórias de amor do cinema. E uma das mais intensas também.

Frank Sinatra, como católico, não considerava se divorciar de sua primeira mulher, Nancy, mesmo a traindo abertamente com todas as estrelas do cinema. Até conhecer Ava. Por ela, ele fez literalmente tudo. Tentou se matar, se humilhou e quase perdeu sua carreira. Parte dessa paixão também ficou eternizada na trilogia O Poderoso Chefão com a lenda de que a máfia interferiu para que ele conseguisse um papel em A Um Passo da Eternidade, pelo qual ganhou um Oscar. Ava diz no livro que foi ela quem o ajudou. De qualquer maneira, o casamento só durou 5 anos.

Em março de 1951, meses antes do casamento com Ava, Frank Sinatra gravou I’m A Fool to Want You. Há quem tente dizer que não é sobre a atriz, mas a relação dos dois sempre foi volátil e as letras refletem perfeitamente como ele se sentia: um tolo apaixonado por uma mulher inconstante. Nelson Riddle, que era o arranjador preferido do cantor, disse “Foi com Ava que Sinatra aprendeu a cantar com sentimento. Ela foi o grande amor da vida dele e ele a perdeu”. O co-autor da música, Joel Herron, conta que precisou creditar Sinatra como letrista porque ele, que estava angustiado com o divórcio e sua obsessão com Ava, alterou as palavras revelando sua dor pessoal como nunca fez antes (ou depois). “Ele fez com que estivesse dito o que estava sentindo e decidimos que ele deveria fazer parte da autoria”, explicou.

Originalmente, I’m A Fool To Want You foi escrita para estar em um filme de Katharine Hepburn e Robert Taylor, Undercurrent, mas problemas com os direitos fizeram com que Joel a reescrevesse, mas a segunda versão ficou superior à primeira. Amigo de Sinatra, Joel mostrou para ele a canção que foi direto ao coração do cantor, que começou a mexer na letra imediatamente. Sua interpretação levou os músicos às lágrimas. O registro foi feito em um único take, tamanha sua emoção

Billie Holiday era uma das grandes fãs de I’m A Fool To Want You e a escolheu para seu último álgum. Segundo contam, chorou ao ouvi-la e cantá-a, e hoje sua versão é a mais elogiada de todas.

Sinatra regravou a canção em 1957 (meu arranjo preferido, embora o original seja mais sofrido), mas não a cantava ao vivo. Aliás, ele morreu sem jamais falar nada sobre sua vida pessoal, mas é impossível – para quem conhece todas as nunces da união dos dois – não pensar em Ava Gardner quando se ouve I’m a Fool to Want You.

Em tempo, mesmo depois do divórcio, Ava e Frank seguiram amigos (e ocasionais amantes, segundo ela. “Na cama nunca nos desentendíamos”, declarou). E sua histórai de amor é uma das mais famosas do cinema.

I’m a fool to want you
I’m a fool to want you
To want a love that can’t be true
A love that’s there for others too

I’m a fool to hold you
Such a fool to hold you
To seek a kiss not mine alone
To share a kiss that Devil has known

Time and time again I said I’d leave you
Time and time again I went away
But then would come the time when I would need you
And once again these words I had to say

Take me back, I love you
…I need you
I know it’s wrong, it must be wrong
But right or wrong I can’t get along
Without you

Aqui a versão de 1951

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s