Grace e Frankie se despendem, mas quero mais Brianna!

Eu AMO Grace e Frankie, mas a melhor coisa da série é Brianna Hanson, personagem da atriz June Diane Raphael. A filha mais velha de Grace e Robert Hanson (Jane Fonda e Martin Sheen), é cínica, cruel e “assustadora”. É uma mulher de 40 e poucos anos, independente, bem sucedida e que não se diminui em nada com as usuais críticas da sociedade para pessoas como ela. Sou mais romântica que ela, faria escolhas diferentes, mas ela é sensacional e merece seu spin off. Que pode até mesmo existir!

Grace e Frankie foi a série de maior logevidade dentro da Netflix, o que é um marco duplo porque a plataforma investe em conteúdos de vida curta. Estreou em 2015, trazendo o tema da terceira idade e seus desafios para as telas com humor e sensibilidade. Em sete anos, abordou vários e importantes temas, como sexo, saúde, amizade, mentiras, preconceitos, recomeço e escolhas, mas quem sempre roubava a cena era Brianna Hanson, uma “mulher que é assumidamente poderosa e realmente possui sua sexualidade e força”, como a própria atriz descreve com perfeição.

O arco da personagem foi incrível, com a executiva levemente se abrindo para amor e uma relação de cumplicidade com Barry (Peter Campbell), que SPOILER ALERT, chega a um impasse final que é justamente a semente para um merecido spin-off que pode acontecer.

June, que é uma excelente comediante – e também roteirista e assinou o filme Noivas em Guerra (Bride Wars), – já pode estar trabalhando no projeto. Ela sinalizou essa possibilidade nas entrevistas sobre o fim da série, mencionando que desenvolveu a proposta junto a um dos cocriadores de Grace e Frankie, Howard Morris e estão aguardando uma resposta da Netflix. “Os fãs verão que do jeito que o show termina, há mais a dizer sobre a história de Brianna – da mesma forma que o original aborda o que significa estar nos anos 70 e 80, acho que explorar o que significa ser uma pessoa de meia-idade. mulher [como Brianna] sem filhos ou marido é igualmente emocionante”, ela comentou com o Hollywood Reporter.

A atriz gostou da solução que Marta Kauffman e Howard encontraram para Brianna, que sempre foi indomável e estava em uma vida doméstica com Barry que parecia encaminhar para um casamento (quase) convencional. “Eu não sabia como seria, mas estou empolgado com o que aconteceu. Parecia realmente fiel ao personagem”, avaliou.

A idéia do spin-off surgiu na 4ª temporada, quando a transformação da personagem ficou mais evidente. “Senti que tinha mais a dizer e que queria afundar meus dentes de uma maneira maior. Estou tão feliz com tudo o que fiz em Grace e Frankie, mas continuei pensando que a história dela não terminaria. Ainda há um estigma em torno das mulheres que não têm filhos e o que isso traz muito para as pessoas. Então eu abordei [os produtores da] Skydance perguntando: “Ei, isso é algo que você gostaria de fazer?” Eu sou muito próximo de Dana Goldberg e Bill Bost, eles são produtores incríveis, e eles disseram que queriam que eu me encontrasse com Howard sobre isso. Marta [Kauffman] também deu sua bênção”, revelou na mesma entrevista.

O hiato da pandemia providenciou o tempo necessário para que a idéia ganhasse corpo. “Passamos meses, honestamente, apenas falando sobre a ideia de que a moeda das mulheres é desvalorizada para nossa cultura à medida que envelhecemos, e muitas vezes é o oposto para os homens. E falamos sobre o que Brianna está potencialmente perdendo e ganhando à medida que envelhece sozinha, e como uma mulher sozinha pode criar um medo profundo em tantas pessoas. Uma vez que sentimos que tínhamos a história piloto, passamos os próximos meses escrevendo”, comentou. Para ela, escrever sobre a personagem a ligou aos seus primeiros dias em Hollywood, quando o preconceito machista era tão imperativo que apenas escrevendo o próprio material seria possível ter uma chance. “Pegar a porta dos fundos (risos), porque é a única maneira que esta cidade vai me ter””, riu. “Mas é realmente cansativo. Não tenho muita vontade de fazer isso sozinha. Isso, para mim, parece solitário. Eu não acho que eu iria levantar e fazer isso. Mas no spinoff eu pude trabalhar com Howard e nós rimos o dia todo. Ele também é mais focado na história do que eu, então ele manteve os trens nos trilhos. Eu escrevi muitos pilotos, mas nunca uma série completa como essa. Não é glamouroso. Especialmente quando começamos a filmar Grace e Frankie novamente, nos encontraríamos antes de eu ir para o set e então teríamos um dia inteiro de trabalho”, continuou.

Estamos na torcida que a Netflix aposte nessa idéia porque Brianna tem muito a falar. Sua relação com Mallory (Brooklyn Decker) também evoluiu e essa sororidade também merece ser desenvolvida. “Acho que Marta e Howard fizeram um belo trabalho: só porque você tem um coração partido, e só porque algo não vai longe, não significa necessariamente que não vale a pena e não foi t um relacionamento bonito e você não poderia ter crescido com isso. Ela tem muito mais reservado para ela em sua vida. E está tudo bem? Aceitamos que ela continue a conseguir tudo o que quer dos homens, da sua vida profissional, da família que tem sem necessariamente subscrever algumas das regras que impomos às mulheres?”, a atriz dividiu com a Vanity Fair.

E a proposta do spin off é justamene começar onde nos despedimos de Brianna em Grace e Frankie, com as irmãs se unindo para recomeçar um novo empreendimento e, quem sabe, novos amores? “Eu realmente não posso falar muito”, diz June. “O roteiro está escrito e estou muito, muito esperançosa e animada, mas está nas mãos da Netflix. Então veremos. Mas estou obcecada com isso”.

Nós também!

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s