Vamos falar de Otto Hightower

Como todos os fãs de Game of Thrones, é quase um jogo tentar conectar personagens de propósitos e almas parecidos. Uma armadilha perigosa pois Alicent não é Cersei (é mais Sansa), Rhaenyra não é Daenerys (acho ela original), Viserys está longe de ser Ned Stark (acho ele mais Tommen) nem Daemon é Jaime Lannister. Poderíamos dizer que todos são individduais, mas é uma brincadeira do fandom. E nesse contexto, Otto Hightower, perfeitamente captado e interpretado por Rhys Ifans, seria um Littlefinger com a classe de Tywin Lannister. Eu nunca tinha percebido o quanto os Mãos são tão unidos em propósito até ver Otto atuando em House of the Dragon. Assim como Tywin, ele é vilão no maior sentido da palavra. Implacável, sem nuances. Tywin até parecia gostar de Jaime, mas mal tolerava Cersei ou Tyrion. Honestamente, Littlefinger queria ser os dois, mas está a anos luz deles.

Assim como na série, no livro Ser Otto Hightower é um homem enigmático. Frio, organizado, metódico e calculista, enquanto todos estão indo ele já está voltando, com o fraco Rei Viserys em quase total domínio. O que Otto não tinha de vantagem era a conexão sanguínea, que colocava seus dois inimigos – Rhaenyra e Daemon – em vantagem. Ardiloso, ele plantou sua filha colada na princesa e depois, no Rei viúvo. Ganhou a partida porque estava jogando o tempo todo, enquanto os outros estavam achando que tudo estava acertado.

Pela história de George R. R. Martin, Sor Otto serviu pela primeira vez como Mão do Rei após a morte do Príncipe Baelon Targaryen, que era pai de Viserys e herdeiro de Jaehaerys I. Com o choque da perda, nem Alysanne nem Jaeherys conseguiram lidar com as demandas da Coroa e por pelo menos dois anos, Otto era o Rei de facto dos Sete Reinos. Nesse período, já começou a usar Alicent, sua única filha, a plantando como cuidadora de Jaehaerys. Isso no livro, na série ela vira a melhor amiga e confidente de Rhaenyra.

Para Viserys, que ficou feliz de ser Rei, mas queria agradar a todos ainda mais do que governar, foi prático manter Otto na posição e seus ouvidos eram, em geral, influenciados por ele. Como Daemon Targaryen (Matt Smith) nunca se enganou com a presença de Otto, ele obviamente retribuía a desconfiança. No livro há quem aluda que ele não gostava da aproximação de Daemon e Alicent, mas na série não há nada que confirme essa teoria.

Sabemos por citações que Otto sempre convenceu Viserys de incompetência em qualquer posição no Pequeno Conselho restando a posição de comandante da Patrulha da Cidade, colocando dois mil homens sob o comando de Daemon e gerando arrependimento para seu opositor. Abertamente, Otto diz temer que Daemon se torne “um segundo Maegor, o Cruel”, algo que aparentemente todos concordam, inclusive Viserys.

A partir do momento em que Aemma morre sem dar um herdeiro a Viserys, Otto passou a temer o obvio. Daemon seria o herdeiro e assim sua casa estaria em maus lençóis. A sugestão de nomear Rhaenyra como sucessora era sempre implicitamente provisória. Imediatamente Otto já estava posicionando Alicent como futura rainha, o que consegue, mas talvez tenha acelerado a estratégia ao ver que Rhaenyra e Daemon se entendiam e que ambos o viam claramente. Otto ganhou. Por enquanto.

A partir do episódio desse domingo, Alicent estará grávida do segundo filho e já deu a Viserys o tão ansiado filho homem. Ela e Otto passam a pressionar o Rei para retomar a tradição de passar a coroa para o filho, jamais uma mulher. Mas Viserys vai resistir. Em breve, Otto será removido de sua posição. Alguns alegam que foi negociado por Rhaenyra, outros que o próprio Rei se cansou da óbvia ambição de colocar Aegon II como sucessor.

Após a suspeita morte de seu substituto, Lord Lyonel Strong, Otto volta como Mão do Rei até a morte de Viserys, estando em uma posição crucial na coroação de seu neto mais velho como rei Aegon II, desafiando a última vontade de Viserys I, que especificou Rhaenyra como sucessora. O mais clássico golpe de estado.

Há alguma dúvida de que quando Aegon II for coroado ele não ia querer o avô para Mão? Aegon terá a coroa, mas quem mandará em Westeros é Otto Hightower. Por um tempo.

Nesse período do início da Dança dos Dragões obrei Aegon pode ter nome Targaryen, mas é verde e Hightower de sangue. Toda Casa Hightower terá mais poder do quem nunca em mãos. Mas a facção negra será cruel.

Um dos filhos de Rhaenyra vai tirar um dos olhos do tio, Aemond, que colado com o irmã Aegon. Aemond eventualmente mata o sobrinho, Lucaerys e como vingança, Daemon manda matar o primogênito de Aegon. A criança é morta na frente de sua mãe, Haelena.

Os problemas para Otto começam a ficar perto de casa. Depois de alguns anos no poder, Aegon II começa a achar o avô excessivamente diplomático uma vez que sua meia-irmã parece ter vantagem na guerra. Em uma decisão ousada, substitui Otto por Ser Cristian Cole. Para quem não gosta de Otto Hightower teremos uma rápida sensação de vingança. Quando consegue tomar King’s Landing a primeira decisão de Rhaenyra é a decapitação de seu mais odiado inimigo. A morte de Otto não será bem recebida pelos verdes, mas é outra questão.

A história de Otto Hightower é impressionante e ele conseguiu inserir sua linha sanguínea nos Targaryens. Sua relação com Alicent, mesmo quando carinhosa, é tão soturna que no Reddit há quem aposte que houve abuso sexual. Eventualmente teremos tantos personagens maus que Otto não será o pior, mas por hora, colocou a coroa de vilão e ninguém tira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s