Os Quebra-Nozes que me marcaram

São muitas as versões especiais de O Quebra-Nozes, uma tradição natalina que mantenho desde que pisei no palco como “amiga de Clara”, décadas atrás. Amo sua música, sua docilidade e inocência.

Há quatro produções em especial que me marcaram. Tentei encontrá-las online.

Baryshnikov e Kirkland no auge

Em 1977, Mikhail Baryshnikov tinha desertado há meros três anos e ainda era uma figura misteriosa para muitas. Lindo, perfeito e carismático. Estrelou Momento de Decisão (pelo qual foi indicado ao Oscar!) e, claro, O Quebra-Nozes.

Ao lado de sua partner, Gelsey Kirkland, Misha estrelou a versão do balé que ficou como a oficial do American Ballet Theatre por décadas. Nela, Clara é uma pré-adolescente que se apaixona pelo Príncipe, que estava preso como soldado do Quebra-Nozes e juntos, festejam no Reino dos doces. O Pas-de-deux foi transformado em pas-de-trois, e até hoje ninguém bateu a beleza da camisola dessa versão de Clara. Amo, minha tradição natalina preferida é rever essa produção. (E ver a brasileira, Áurea Hammerli, em um solo como Mirlitons no segundo ato.)

Ekaterina Maximova e Vladimir Vasiliev na versão do Bolshoi

Não houve nada que Ekaterina Maximova tenha dançado sem ser brilhante. Uma das maiores estrelas da dança na época, ao lado do marido, Vladimir Vasiliev, ela estrelou essa doce e inesquecível versão do Ballet Bolshoi, coreografada por Yuri Grigorovich, é ainda a produção natalina da companhia. Perdi a conta dos solistas que brilharam nela, mas ainda amo a do meu casal preferido.

Aqui, Clara também se apaixona pelo Príncipe e os dois se casam no final. Super romântico e lindo. Grandioso como o Bolshoi.

A definitiva? A visão de Balanchine

Há 65 anos, todo Natal, a cidade de Nova York gira em torno de uma das mais perfeitas versões do balé (que completará 130 anos em 2022). George Balanchine criou um Quebra-Nozes todo inspirado em sua visão de infância (e das montagens russas). É tão perfeito que já foi filmado mais de uma vez. É um dos programas mais tradicionais de Natal na Big Apple. Eu já vi pessoalmente e os filmes. É ultra emocionante.

A visão de Balanchine mantém Clara como criança e os solos principais são da Fada Açucarada. Sua Valsa das Flores, criada para Tannaquil LeClerc, é inigualável. Para ver e rever!

Royal Ballet e a versão original

A melhor versão do Royal Ballet não se encontra mais online, mas sua montagem é a mais próxima da idealizada por Marius Petipa e Lev Ivanov. Em uma palavra? Sensacional.

Veja dois trechos

Qual o seu favorito?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s