Barry encerra 3ª e incrível temporada em suspense

Aqui será um post com SPOILERS da final da terceira temporada de Barry. Não há como evitá-los.

Primeiro o elogio à direção precisa de Bill Hader nos melhores episódios da série, incluindo o penúltimo – com a perseguição histórica de moto – com o final da temporada. Como roteirista e estrela da série, sua visão sobre os absurdos que cercam e conduzem Barry como pessoa são traduzidos com sequências repletas de surpresas e sim humor, mesmo em meio à violência e drama. Seja uma entrada repentina de alguém, um ângulo curioso, a suspensão de áudio no momento vital, no que não vemos e só ouvimos… Bill Hader brincou com os nossos sentidos de todas as formas em um único episódio que o coloca, se for por merecimento, como um dos principais indicados a direção em 2022. Ele já venceu como ator, como série, mas deu show disparadamente atrás das câmeras.

Para quem acompanha a série, vimos um Barry tentando “compensar” seus crimes ajudando as poucas pessoas a quem tem uma conexão sentimental. Porém intenções não substituem a dor que infligiu em famílias e gangues.

Antes de mais nada, embora a gente torça por Barry, ele não é mocinho. Ele é conscientemente sociopata e sua “habilidade” para matar pessoas. Pior do que ele, em todos os sentidos, é o seu pai-substituto, Monroe Fuches (Stephen Root) que teve toda a oportunidade de recomeçar sua vida e deixar Barry viver a dele, mas se recusou. E como nunca gosta de sujar as mãos, o que fez foi abrir a caixa de Pandora e indicar para todos que perderam alguém pelo gatilho de Barry, quem foi o autor dos crimes (omitindo sua participação, claro). Dessa forma, Barry desavisadamente passou a ter um grupo de vingadores em seu encalço, profissionais ou não. Em sua tortuosa sorte, se livrou de cada um de forma surpreendente.

Envenenado, ele quase morre (a cena da praia é linda e poética) mas é salvo por alguém que ter ter o prazer de matá-lo, o pai de outra vítima. Mas sendo um homem honesto, ele leva Barry para o hospital e se mata, proporcionando a chance de que o ex-marine seja salvo. Porém ele tem um dos mais eficientes perseguidores, o pai de Janice Moss (Paula Newsome), Jim Moss (Robert Ray Wisdom) quente na pista que pode colocá-lo ou morto ou atrás das grades. E é a traição de Gene Cousineau (Henry Winkler) que o deixa desarmado, pois esqueceu que seu professor é um bom ator.

Cosineau vem lidando com a descoberta da verdade ao mesmo tempo que se sente ameaçado por Barry. Nesse iô-iô irracional que o assassino lida com sua vida, horas sendo prático e apagando as pegadas com mais mortes ou tentando “ajudar”, como fez, recuperando carreira do professor, ficou parecendo que Cousineau ia participar do jogo e salvar Barry. Me enganei.

Convencido por Jim, Cosineau brilhantemente arma para que Barry se sinta compelido a matar novamente, para protegê-lo, assim sendo preso em flagrante pela SWAT. Dessa forma, a relação sentimental que Barry possa ter foi para o brejo e inadvertidamente, o professor pode responder pela decisãi na próxima temporada.

A prisão de Barry está em último lugar entre as surpresas do episódio. Seu amigo do Afeganistão e agente do FBI, Albert Nguyen (James Hiroyuki Liao), tem gratidão por Barry. e dá uma lição de moral no amigo, o incitando a recomeçar a vida sem crimes. Se ele soubesse como era o que já vinha tentando e o pânico que tem de ir para o inferno (aquela praia com todas suas vítimas), talvez Albert tivesse feito o favor de pelo menos prendê-lo. Barry implora por sua vida e ganha sua chance.

O que Albert também não sabia é que Barry estava ali para ajudar Sally (Sarah Goldberg), a mulher ideal para ele, sem pingo de dúvida. Narcisista crônica em niveis astronômicos, a crueldade da atriz e sua sociopatia agora a levaram para o lugar de assassina, por mais que tenha sido em autodefesa. Ela estava atrás de Barry, para pedir que ele assustasse sua desafeto e inimiga, Natalie, quando são surpreendidos por um motoqueiro buscando vingança. Ele consegue nocautear Barry, que estava distraído com Sally, e ao tentar matá-la, desperta o lado animal dela, que já vinha se revelando nos últimos episódios. Apaixonado, Barry encobre e assume o crime por ela, achando que ela esperaria por ele, porém Sally é Sally, já fugiu sem pensar duas vezes. “Eu te amo”, ele diz. “Sim, você me ama”, é a resposta romântica da namorada. Não acredito que ela venha a ter drama de consciência de deixar Barry levar a culpa de seus erros e ainda dar a volta por cima. Não gosto de Sally.

O único que genuinamente gosta de Barry estava também lutando por sua vida, na Bolívia. Noho Rank (Anthony Carrigan) sobreviveu a um dos mais violentos episódios da série, um que não vemos quase nada mas o áudio nos faz ter pesadelos. Se até então era um fraco e sem talento para usar armas, Noho aprendeu com Barry. Consegue se salvar e salvar Cristobal, que estava sendo torturado, mas agora terão que escapar de Cechenos, Bolivianos e a polícia. No entanto, ainda aposto em novo “action hero” salvando Barry antes da história acabar.

Amarrando todas personagens mortes e questões de ações e consequências, Barry entregou uma terceira temporada profunda e inovadora em sua narrativa. E mais ainda, literalmente invertendo as cadeiras colocando Cousineau no exercício que mudou a vida de Barry na primeira temporada, ao ser interrogado por Jim Moss. “Você ama Barry?”, ele não consegue responder de cara. O interrogatório era para nós, que facilmente esquecemos que Barry é vilão, porque estamos acompanhando a sua vida sob sua visão sociopata. Cousineau ama e odeia Barry. Ele destruiu e refez sua vida, abriu sua alma para o professor e o idolatra cegamente. Seria o suficiente para apagar seus erros? Sabemos como foi a conclusão do professor, mesmo que sob pressão, tenha feito o certo por medo. E a pergunta é pertinente: você ama Barry? Deus guarde minha alma… eu adoro!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s