Um hino pessoal e crítico sobre capitalismo na trilha de The Crown

Quem acompanha o blog Miscelana já sabe que tem pilares que nunca deixo de abordar: música, figurino e História. Algumas séries, como The Crown, unem todos os temas que A-MO refletir, discutir e ressaltar.

Na 4ª temporada da série, a promo BRILHANTE que nos apresentava a princesa Diana, foi sonorizada com um sucesso dos anos 1980s, How Soon Is Now, da banda The Smiths em uma nova versão mais intimista com a vocalista Dresage. Era uma escolha inteligente porque a década endereçada na temporada era justamente a que a banda britânica explodiu e embora a canção seja sobre depressão e homofobia, se aplicava também ao momento em que o “herdeiro” (citado nas letras) se referia à Charles. Depois de um hiato maior, a 5ª temporada estréia em algumas semanas e o trailer com as imagens foi lançado hoje. CLARO que a seleção musical é perfeita e merece destaque.

Ao som de Bittersweet Symphony, da banda The Verve, o trailer vem com o pé na porta e se afirmando corajoso ao colocar os temas que a Família Real queria abafar: a entrevista de Diana à BBC e os outros dramas dos anos 1990s, que culminaram com a morte dela (há 25 anos). Não é a primeira vez que o sucesso está na trilha sonora de um filme (encerra Cruel Intentions, por exemplo, em 1999), mas foi uma boa sacada para destacar a mensagem da temporada: agridoce e de mudanças.

“Você é escravo do dinheiro e depois você morre”. O compositor Richard Ashcroft partiu dessa frase, que traz uma visão sombria da vida, para fazer sua “sinfonia agridoce” do que é viver em tempos de capitalismo selvagem.

O que Richard reflete é o clássico “dinheiro não traz felicidade”, como ele mesmo falou na época, em 1997, sobre as pessoas que ganham na loteria e acreditam que resolveram todos os problemas de sua vida. O vocalista também se inspirou na história de seu pai, um funcionário de escritório com trabalho insatisfatório – mas que pagava as contas – e que morreu repentinamente de uma hemorragia cerebral em 1982, quando Richard tinha apenas 11 anos. “Ele trabalhou das nove às cinco e não chegou a lugar nenhum. Percebi imediatamente que não era a vida para mim,” confessou em uma entrevista.

The Verve foi uma das principais bandas do movimento conhecido como brit wave, com bandas como Oasis, Radiohead e Blur explodindo nas rádios mundiais. Bittersweet Symphony abre um de seus melhores álbuns: Urban Hymns. Com um andamento diferente, o que fica mais forte é o riff orquestral de uma vesrão de uma canção de 1965 dos Rolling Stones, The Last Time. Por isso Richard creditou Mick Jagger e Keith Richards como co-autores. A discussão dos direitos autorais não foi nada simples, mas foge do foco do post. Vamos falar da ligação dela com Diana.

Usada em muitos comerciais, a banda decidiu doar os lucros dessas campanhas publicitárias à Cruz Vermelha, especificamente na campanha contra as minas (que Diana era a principal crítica mundial, deixando sua imagem andando em um campo minado como uma de suas principais imagens, algo que VAI estar em The Crown).

Outra coisa que Richard canta é o fato de que é difícil mudar quem realmente somos. Na série, Diana enfrenta o sistema e a fórmula de silêncio da Família Real, com consequências até hoje visíveis. Mais uma vez? Perfeito!

‘Cause it’s a bittersweet symphony, that’s life
Tryna make ends meet, you’re a slave to money then you die
I’ll take you down the only road I’ve ever been down
You know the one that takes you to the places where all the veins meet, yeah

No change, I can change
I can change, I can change
But I’m here in my mold
I am here in my mold
But I’m a million different people
From one day to the next
I can’t change my mold
No, no, no, no, no
(Have you ever been down?)

Well, I’ve never prayed but tonight I’m on my knees, yeah
I need to hear some sounds that recognize the pain in me, yeah
I let the melody shine, let it cleanse my mind, I feel free now
But the airwaves are clean and there’s nobody singin’ to me now

No change, I can change
I can change, I can change
But I’m here in my mold
I am here in my mold
And I’m a million different people
From one day to the next
I can’t change my mold
No, no, no, no, no
(Have you ever been down?)
I can’t change, oh, no
I can’t change, oh

‘Cause it’s a bittersweet symphony, that’s life
Tryna make ends meet, tryna find somebody then you die
I’ll take you down the only road I’ve ever been down
You know the one that takes you to the places where all the veins meet, yeah

You know I can change, I can change
I can change, I can change
But I’m here in my mold
I am here in my mold
And I’m a million different people
From one day to the next
I can’t change my mold
No, no, no, no, no

I can’t change my mold
No, no, no, no, no,
I can’t change my mold, no, no, no, no
It’s just sex and violence, melody and silence
It’s just sex and violence, melody and silence
I’ll take you down the only road I’ve ever been down
I’ll take you down the only road I’ve ever been down
Been down
Ever been down
Ever been down
Ever been down
Ever been down
Have you ever been down?
Have you ever been down?
Have you ever been down?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s