2022 consolida a onda das “pod series”: séries que nascem de podcasts

Foi-se o tempo que uma biografia escrita que fizesse sucesso era um material certo para filme ou série. Hoje não precisamos nem de tanto tempo de pesquisa.

A onda das bioseries, conteúdo biográfico que reconta uma história sob nova perspectiva está no auge em 2022 e longe de passar. A tendência já era clara e crescente há alguns anos, mas entre 2020 e 2022 passou a ser regra. Super heróis nos cinemas, crimes e biografias no Streaming e realities nas TVS. E a fonte de inspiração? Podcasts. Em especial, podcasts sobre escândalos ou crimes (ou ambos).

Como resultado, difícil hoje é não ter uma grande estrela de Hollywood no elenco de uma série ou filme biográficos. Seria uma consequência de mais de 20 anos de um público cada vez mais adepto a “reality shows”, programas que fazem de desconhecidos famosos e bilionários? Certamente.

Parece o caminho atual para estrelato: através das redes sociais ou reality shows, desconhecidos se tornam celebridades São adorados por 15 minutos, mas geralmente também são cancelados exatamente pelo os que o fizeram famosos, assim voltam ao anonimato, até que um podcast os redescubra. Isso mesmo, o caminho natural do sucesso dos podcasts – que se multiplicaram nos últimos 5 anos, especialmente os que tem como tema um crime – é justamente virar série em plataforma de streaming. A hilária Only Murders in the Building, da Starplus, cutuca essa nova moda com piadas e inteligência.

Em menos de cinco meses, vejam os nomes que já passaram pelas plataformas e que vieram de podcasts: Julia Roberts e Sean Penn em Gaslit; Anne Hathaway e Jared Leto em WeCrashed; Amanda Seyfried em Dropout; Julia Garner em Inventando Anna; Lily James e Sebastian Stan em Pam & Tommy e Colin Firth em The Staircase, sem citar as séries sobre personagens históricas já exibidas e/ou ainda em produção. Ninguém mais sabe inventar uma história original para contar? É o cine-reality-fictício?

E estamos longe de mudar a rota. Chegou a vez de mais uma atriz oscarizada estrelar uma série inspirada em uma história verdadeira sobre um crime absurdo: The Thing About Pam, com Renée Zellwegger, que vai estrear no dia 20 de maio, no Starplus. A origem? Sim, um podcast.

Assim, no Emmys 2022 e até em 2023, todas as séries de ficção poderiam ser documentários. Mais ainda, confirmam a onda dos pod-series, que nascem como rádio e extrapolam para as telas. Isso mesmo, tudo mudou e nada mudou. Não dá preguiça?

Ainda não posso comentar sobre a série de Renée por causa do embargo, na próxima semana entro mais em detalhes, mas aqui fica uma questão que já abordei na coluna de CLAUDIA: o perigo das “novas narrativas”. Todo esse conteúdo inspirado na realidade nos desafia a pesquisar mais, refletir e questionar. Óbvio, a ficção também tem esse papel, porém, quando abordamos histórias de pessoas reais, o ceticismo é esperado como base e, para realmente comprar a versão que nos passam, não pode ter uma platéia passiva. Até porque, todo conteúdo biográfico é mais interessante quando sabemos do que estão falando. Eu sempre busco mais de um documentário sobre o assunto, leio mais de um artigo sobre o tema para ousar colocar meus pensamentos aqui no blog. Convido a todos a fazerem o mesmo, incluindo a incrível história que Renée Zellwegger vai nos mostrar em breve. Ela passou por nova transformação física para o papel, está excelente como Pam Hupp e vai sim brigar por uma das mais disputadas cinco vagas de indicação ao Emmy. A premiação promete ser (artisticamente) mais animada que o Oscar. E está difícil superar o Oscar 2022, hein?

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s